Plenária: Violência e Segurança

Violência e Falta de Segurança

Na abertura da miniplenária sobre violência na praça  Umbu, paróquia São Vicente de Paulo, padre Joel Medeiros apresentou a vida de Yara e Anderson, nomes da plenária, ela  catequista e ele  estudante de teologia. Os dois morreram em um acidente perto de Ponta Grossa há três anos. Dom Geremias também marcou presença na abertura falando que a CEBs deve voltar a ser da forma que ele ouvia quando ainda era estudante: “nós com Deus e nós com nós”.

Violência: Política de Estado

José Alberto Maschio

José Adalberto Maschio, jornalista com quase 40 anos de experiência, abriu a apresentação do tema dizendo que não ia falar em números sobre a violência “porque números é papel da grande imprensa, se você bate nele ele conta o que você quer”. Maschio enfatizou que a violência é política de estado e existe no Brasil desde a época do descobrimento, segundo ele não existe segurança pública, existe segurança a serviço de uma elite.

“Ganchão” como é conhecido fez uma provocação aos delegados, dizendo que a violência só aumenta por conta do nosso comodismo e  porque vemos só a violência propagada pela mídia. Ele também fez duras críticas à igreja católica e a CEBs, na concepção dele a CEBs lutou muito e resistiu no período da ditadura, mas no momento da redemocratização se acomodou e “deixou esse povo que está ai tomar conta”. A violência segundo Maschio, é fruto da nossa desorganização. “ Não temos poder de organização e “fazemos a violência prosperar”.

Para o debate em grupo , “Ganchão” pediu que cada um pensasse na violência a partir da realidade da gente  e pensasse o que se pode fazer em cada bairro, associação ou entidade para se organizar e vencer a violência . “Temos que nos organizar e termos um sentido de pertencimento, tomarmos a nossa praça de volta, a nossa vida, a vida das crianças de volta”. Destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *