CEBs de Iguatu promove assembleia geral

 

Nos dias 08 à 10 de setembro a coordenação de CEBs da Diocese de Iguatu promoveram assembleia geral com os animadores e animadoras de comunidades, dentro de uma semana intensa de mobilizações e gritos, grito pela vida e de direitos ao povo brasileiro.

Inicialmente na sexta feira, logo muito cedo foi acolhido os participante na frente da Secretaria de Ação Social da cidade de Iguatu. Momento de mística e um forte grito ecoou em pró da vida; “O Rio Jaguaribe grita pela Vida!”.

Em caminhada refazendo o ressoar do grito, todos se dirigiram para Igreja Matriz do Prado, missa solene da padroeira N. Sra. do Perpetuo Socorro. Pós Missa, segue-se ecoando gritos pela vida, até a cidade universitária.

A partilha, a troca de dons, não poderia ser mais propício no momento do almoço coletivo. O Centro Pastoral Santo Antônio foi a tenda dos peregrinos para prosa, descanso e abastecimentos de forças par a jornada seguinte.

 

Antônio Felix membro da coordenação proporcionou palavras de acolhida e um canto próprio de quem compreende a força que se reestabelece nesses momentos, natural que fosse “Somos gente nova vivendo a união, somos povo semente de uma nova nação (Zé Vicente)”.

Para fazer uma reflexão da situação de controvérsia no cenário atual, Ir. Ilza fez entoar um canto onde figura quanto de atitude tem de ser promovido; “Peregrino nas estradas de um mundo desigual, espoliado pelo lucro e ambição do capital. Do poder do latifúndio, enxotado e lugar, já não sei pra onde andar. Da esperança eu me apego ao mutirão”.

A assembleia se debruçou sobre a avalição dos conjuntos de ações pastorais promovidos para 2017. Organizadas em plenárias (zonais) responderam as inquietudes avaliativas: qual o envolvimento concreto das paróquias nas ações propostas? Quais resultados que favoreceram as comunidades? Os desafios encontrados? onde mais se intensifica as ações de vivência fraternal como comunidade, no campo ou cidade?

 

Respondidas essa perguntas, definiu-se uma realidade de conquista, avanços e luzes, porém se percebeu sobras e lacunas na caminhada cebiana. Para refletir nesse contexto local como a influência urbana foi um ponto motivador para tantas sobras, mais também alguns reflexos de esperança, foi convidado Pe. Anastácio pra intercambiar a relação mundo urbano e realidade local.

 

Isso proporcionou aprofundar a temática nacional proposta pela a realização do 14º Encontro Nacional de liderança de CEBs do Brasil, conhecido como Intereclesial de CEBs. Onde a temática básica é “CEBs e os desafios do mundo urbano, em um lema eloquente “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-los”

Para fazer do encontro um ponto de chagada para avaliar e um ponto de partida para continuidade na vida em comunidade, foram propostas ações para superar os desafios nos próximos passos (2018):

  • Formação sobre conjuntura social/política e econômica das CEBs urbanas/rurais em 2018.
  • Festa da Santíssima trindade seja feita nas realidades comunitárias urbanas e rural e concretizar a coleta solidária.
  • Formação continuada para a juventude no mínimo dois (2) anos de processo formativo.

A assembleia atendeu a expectativa de representação tendo com testemunhal o registro dos participantes, somando um total de:

60 presentes, distribuídos assim por Paróquia/Zonal:

IGUATU= 04 Paróquias: Senhora Santana, Nossa Senhora do perpétuo Socorro, Nossa Senhora das Graças, São José. Área Pastoral de Santo Expedito-Santana e Área Pastoral São Sebastião; Nossa Senhora do Perpétuo Socorro;

MOMBAÇA= 02 Paróquias: Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro;

ACOPIARA= 02 Paróquias: Nosso Senhora do Perpétuo Socorro e São Francisco;

QUIXELÔ= Bom Jesus;

CATARINA= São José;

CEDRO= São João Batista;

JUCÁS= Nossa Senhora do Carmo + Área Pastoral-São Pedro Apóstolo;

SENADOR POMPEU= Nossa Senhora das Dores;

SABOEIRO= Nossa Senhora da Purificação;

ORÓS= Nossa Senhora do Perpétuo Socorro;

ICÓ= Nossa senhora da Expectação e Nossa Senhora do Rosário;

SOLONOPOLE= Bom Jesus Aparecido.

Elenice Morais, representou as pastorais sociais e a Cáritas Diocesana e Mara representou a Cáritas diocesana.

Centro Pastoral Santo Antônio – Paróquia Nossa senhora do Perpétuo Socorro-Prado, aos nove de setembro de dois mil e dezessete.

 

Repasse de: Jose Horácio de Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *