CEBs em Rondonópolis realizam Semana da Mulher

“Pra mudar a sociedade do jeito que a gente quer! Participando sem medo de ser Mulher!!”

As Comunidades Eclesiais de Base da paróquia São José Operário, em Rondonópolis, MT, deram início nesta segunda-feira (04/03), às comemorações Semana da Mulher.

Hoje, o evento aconteceu nas comunidades do Setor 10 , Jardim Ipiranga e Dom Bosco. Teve palestras sobre saúde, prevenção de doenças e direitos da mulher. O encontro também teve bolo e sorteio de prêmios.

As ações sempre contam com atividades educativas e palestras sobre saúde da mulher, violência doméstica, depressão, feminicídio, a perda dos direitos trabalhistas e da previdência.

Confira a agenda e participe:

Dia 05/03 (terça-feira) às 13:30 – Salão da igreja Ezequiel Ramim.

Dia 06/03 (quarta-feira) às 13:30 – Salão da igreja do Jardim Sumaré.

Dia 07/03 (quinta-feira) às 13:30 – Salão da igreja de Vila Verde.

Dia 08/03 (sexta-feira) às 13:30 – Salão Paroquial da Vila Operaria.

Contamos com a participação de todas(os) nesse grandioso ato de resistência.

Fique ligada!!

O dia internacional da mulher é comemorado anualmente no dia 8 de março. Esta data representa uma conquista social, econômica e política para todas as mulheres. É uma festividade que, graças a ONU, passou a ser comemorada por diversos países.

Desde o século XX, já existia a ideia de criar uma data festiva para a mulher, principalmente na Europa e Estados Unidos. O ideal era ressaltar, neste dia, a luta das mulheres por melhores condições trabalhistas, qualidade de vida, e a aquisição de direitos sociais exclusivos de homens, como o voto na época.

 A data escolhida para esta comemoração foi 8 de março graças a uma série de eventos drásticos que envolverão muitas mulheres em uma fábrica norte-americana. Em 8 de março de 1857, várias mulheres que trabalhavam numa indústria de tecidos de Nova Iorque fizeram uma enorme greve no local.

O intuito era solicitar um grande número de melhorias nas condições de trabalho, como redução das horas de trabalho de 16 horas para 10 horas diárias, igualação de salários entre mulheres e homens (pois os rendimentos femininos chegavam somente a um terço do pagamento dedicado aos homens), e, também, um acolhimento decente e respeito às mulheres dentro do ambiente de trabalho.

Infelizmente, o protesto foi contido com extrema violência. Sabe-se que várias mulheres que estavam no local foram trancafiadas dentro da fábrica de tecidos, que posteriormente foi incendiada. Cerca de 130 mulheres morreram queimadas no evento.

Somente em 1910, em uma conferência na Dinamarca, que foi instaurado o dia internacional da mulher, em homenagem a este triste evento de 1857. Mas a ONU só oficializou a data em 1975.

A data festiva não foi criada apenas com o intuito de comemorar a coragem e os direitos conquistados por aquelas mulheres. Ainda hoje, ocorrem debates, conferências e reuniões por todo o mundo com o propósito de analisar as contribuições femininas na sociedade atual. Lamentavelmente, até o momento, muitas mulheres ainda sofrem a desvalorização e o preconceito, tanto no âmbito profissional como dentro do próprio lar. Apesar dos avanços, várias empresas ainda oferecem para as mulheres um salário inferior aos ofertados aos homens, uma jornada de trabalho grande, além de desrespeito e desigualdades na carreira.

Por: Maria de Lourdes, Maria Alice e Francis Santos,

da equipe de Comunicação Popular das CEBs da paróquia São José Operário.

SEMANA DA MULHER ROO 2019 (21)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *