CEBs Manaus na vivência da comunidade Ticuna

As CEBs Manaus se unem à comunidade Ticuna nessa luta e seguem animadas  na busca da superação dos desafios no mundo

Na manhã de sábado (06/04) os articuladores das CEBs da Arquidiocese de Manaus estiveram participando de um momento de vivência com a comunidade indígena Ticuna, localizado no bairro Cidade de Deus.

Foi um momento de partilha e reflexões sobre a vida dos indígenas na cidade, seus desafios e perspectivas mediante a toda situação de desconstrução de direitos e principalmente dos povos indígenas.

Vivem na comunidade cerca de 100 famílias em suas casas próprias porém um dos objetivos deles é possuírem os títulos definitivos dessas terras. Através da Associação formada pelas lideranças da comunidade lutam para que tenham outros benefícios específicos para a comunidade como um posto de atendimento para a saúde indígena. Hoje eles são atendidos pela UBS do bairro, porém necessitam que haja um atendimento voltado à saúde indigena, em alguns casos quando algum indígena vindo de comunidades do interior recorrem ao atendimento no CASAI geralmente não conseguem o atendimento, a comunidade Ticuna  os acolhem,  levando os mesmos para serem atendidos na UBS.

Outra urgência apontada por eles é a necessidade de ter uma escola indígena onde  possam ensinar as crianças e os jovens a língua materna e assim preservar a sua cultura dentro da comunidade.

Algumas lideranças trabalham como educadores através dos projetos da prefeitura de Manaus, mas uma boa parte deles trabalham seus artesanatos.

Para os articuladores das CEBs de Manaus foi um momento muito favorável para entender a importância donolhar miserivordiso da Igreja para com esse povo que vive a invisiblidade  nas periferias das grandes cidadese e que precisam lutar pelos seus direitos e principalmente se fazerem visíveis nos grandes centros urbanos.

A Campanha da Fraternidade desse ano que tem como tema as políticas públicas,  convida ao compromisso na luta pela garantia de direitos e atendimento digno aos mais vulneráveis. As políticas públicas devem resultar na inclusão de todos, com qualidade.

As CEBs Manaus se unem à comunidade Ticuna nessa luta e seguem animadas  na busca da superação dos desafios no mundo urbano, clamor escutado no 14° Intereclesial que permeia e impacta o cotidiano das comunidades.

Texto: Patricia Cabral

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *