No Caminho de Jesus de Nazaré: Fé, Esperança e Amor

Ao contrário do que muitos pensam, o seguimento de Jesus de Nazaré não é uma trilha para chegar às realizações de desejos pessoais como projetos de poder na esfera religiosa, sucesso nos negócios ou garantia de um lugar no céu na primeira classe. É o que muitos líderes religiosos tem ensinado. Pregam o Jesus dos milagres, da prosperidade financeira, do templo, das hierarquias, da barganha. As forças conservadoras do sistema religioso exaltam o deus-mercado que surge das entranhas do capitalismo para promover adoração a um deus consumista que ama o luxo e a soberba. Nisso, surgem “deuses” e “deusas” que em seus projetos de poder, se dedicam na construção de seus impérios.

Há também os que acreditam que o caminho de Jesus é uma pauta de ritos, códigos e dogmas. Para estes, Deus é a lei, acreditam em um deus autoritário, raivoso e determinista. São os que pregam que nada acontece no mundo sem o consentimento de Deus. Por isso, o determinismo acredita que a miséria, a fome, a violência e outros males que hoje afetam a sociedade, não é um problema politico-social, mas um sofrimento pré-determinado por Deus e não cabe a interferência da sociedade. O determinismo tem sua base no fundamentalismo religioso, que em sua leitura da bíblia, exalta a letra em detrimento da vida.

Os que acreditam no deus-mercado, como também no dos milagres e prosperidade não rompem com o templo. Acreditam que lá é a casa de Deus, é o lugar onde Deus realiza os desejos de consumo dos fiéis. Por isso, preferem doar dinheiro para a construção de templos e ao mesmo tempo ignorar os milhões de pobres que vivem em barracos ou debaixo de viadutos, resultado do capitalismo que os mesmos abraçaram por décadas na história da igreja cristã.

O seguimento de Jesus de Nazaré é pautado na fé, na esperança e no amor. É um caminho revolucionário, de partilha, de comunidade. Não é um caminho para os egoístas, avarentos e bajuladores de templos, não é para os interesseiros que buscam promoção para si, ou para seu projeto de poder. O caminho de Jesus é para os discípulos e discípulas que amam a Deus e os pobres. É lugar de escuta, de profecia, de caminhada libertária.

O seguimento de Jesus é caminhada com os pobres. Estes, estão incluídos os negros que lutam contra a segregação racial, mulheres, jovens e crianças das periferias que sofrem com os múltiplos desafios sociais, os ribeirinhos e indígenas em suas terras sob ameaça, os camponeses na luta pelo direito agrícola, os sem teto, sem terra e muitos outros.

O caminho de Jesus não é no templo com suas estruturas hierárquicas de poder, nem nas prateleiras do mercado religioso, nem tão pouco na longa lista de regras do legalismo. Jesus está na vida, na caminhada de libertação com os pobres. Por isso, ainda que acabem todas as possibilidades, aos que seguem o Cristo, sempre haverá Deus e os pobres.

Marcos Aurélio dos Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *