II NORTÃO DAS CEBs: A realidade das Comunidades da Paróquia de Tapauá-AM

II NORTÃO DAS CEBs-Porto Velho, de 19 a 21 de julho  de 2019.

Tema: “Espiritualidade das CEBs na Amazônia”;
Lema: “Por causa da tua Palavra” (Lc 5,5).

O tema e o lema visam a refletir sobre a gênese das CEBs na Amazônia. No princípio, no começo da caminhada e o tempo todo, a Palavra de Deus é assumida como elemento absolutamente central na vida das comunidades, ao passo que o compromisso de encarná-la na realidade.

Em preparação para esse momento, as comunidades estão sendo ouvidas e motivadas a celebrarem  em unidade essa Igreja de Rosto Amazônico.

Dom Santiago, bispo da Prelazia de Lábrea participando da articulação das comunidades, durante a Assembleia em janeiro de 2019.

 Frei Antônio    Pároco na  Paróquia de Tapauá-AM , tráz uma descrição de uma paróquia que se assemelha a centenas de comunidades existentes  nos Regionais Norte 1, 2, 3 e Noroeste da CNBB, que buscam ser e ter voz, pelo anuncio e testemunho de Jesus de Nazaré.

Ouvir o clamor da Amazônia e de seus povos  tem sido  a intenção da Igreja Católica  na resistência de suas lideranças e animadores em especial nesse tempo de Sínodo para a Amazônia.  O tema do sínodo “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral” e todo o processo de escuta das comunidades tem sido  um momento histórico,  pois a Igreja reúne-se para decidir o futuro da Amazônia. “Somos chamados a iluminar o percurso da história da Amazônia. O papa pede que sejamos uma igreja mais próxima, encurtando distâncias. Uma igreja solidária, profética que denuncia e luta por direitos e justiça, indicando caminhos…. Não é apenas repetir o que já foi dito, mas Avançar e percorrer novos caminhos.”

Assim as Comunidades Eclesiais de Base , seguem esperançando nas longas distâncias amazônicas, através de homens e mulheres que são a Igreja em Saída na qual insiste  Francisco.

Segue Relato:

A realidade das Comunidades da Paróquia de Tapauá-AM por Frei Antonio

Frei Jorge durante missão

Boa noite!
Vou tentar motivar para conseguir as dez vagas da nossa paróquia entre comunidades da cidade e ribeirinhos. O problema aqui são as viagens, já que não temos estrada, graças a Deus também, porque com estrada as problemáticas seriam muito maiores.
De fato o projeto de unir Tapauá com a BR 319 eu não aprovo. Se já como está, estão desmatando bem, com a estrada seria muitíssimo pior. Por isso, o custo das viagens em tempo e em dinheiro é muito grande. O pessoal que trabalha e, às vezes é o mais consciente, normalmente não pode ir, porque não podem faltar tantos dias do trabalho.
Faz pouco tempo tive uma reunião em Lábrea, mas com as viagens no “barco recreio” ida e volta foram quinze dias fora de casa.
Vamos tentar ir agora pelo rio Ipixuna até a ponte onde tem uma parada do ônibus na BR 319. É melhor do que ter que ir a Lábrea de barco e de lá a Humaitá-Porto Velha. Nunca fizemos isso, mas vamos tentar ver horários e coordenaremos bem para tentar chegar.
Quase sempre ficamos de fora de muitas coisas do Regional porque tudo é pelo rio. Avião a Manaus é caríssimo. Por isso quase sempre quem participa é só Lábrea e não as outras paróquias da Prelazia. Tenho vinte anos no Brasil, na Prelazia, e nunca foi para uma reunião do Regional, e outros também não. Até para reunir-nos em nível de Prelazia é um grande problema. Nossas paróquias são imensas, a nossa de 92.000 quilômetros quadrados, maior que vários países, com apenas 18.000 habitantes, mais da metade já na cidade, porque os rios estão abandonados pela administração.
Em fim, sinto que nossa realidade, mesmo dentro da Amazônia é muito especial e diferente. Mas vamos tentar que participem. A gente tenta animar e assessorar as comunidades para que sejam CEBs de verdade, mas no social aqui o povo está “pego pela barriga”, pois a administração é a que mais emprega no município.
Partilho isso que imagino que gente da Prelazia já terá partilhado aí no Regional.
Mas mesmo assim tem muita coisa boa acontecendo.
Obrigado e boa missão! Um abraço,

Frei Antônio.

Por Leoni Alves Garcia.

Contibuição de Neurimar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *