Carta do II Nortão das CEBs às comunidades. “Por causa da tua Palavra” (Lc 5,5)

O II Encontrão das Comunidades Eclesiais de Base do Norte -II Nortão das CEBs-  Porto Velho, de 19 a 21 de julho

Tema “Espiritualidade das CEBs na Amazônia”  Lema “Por causa da tua Palavra” (Lc 5,5).

O tema e o lema visam a refletir sobre a gênese das CEBs na Amazônia.

No princípio, no começo da caminhada, e o tempo todo, a Palavra de Deus é assumida como elemento absolutamente central na vida das comunidades, ao passo que o compromisso de encarná-la na realidade dos povos é vivido como verdadeiro horizonte da ação evangelizador

 

Carta do II Nortão das CEBs às comunidades

Porto Velho, 21 de julho de 2019.

“Por causa da tua Palavra” (Lc 5,5)

Carta do II Nortão das CEBs às comunidades

Porto Velho, 21 de julho de 2019.

“Por causa da tua Palavra” (Lc 5,5)

  1. Nós, participantes do II Nortão das CEBs, reunidos no período de 19 a21 de julho, celebrando a memória dos 10 anos do 12º Intereclesial das CEBs, daqui das margens do Rio Madeira, em Porto Velho, no coração da Amazônia, saudamos com afeto os irmãos e irmãs de todos os cantos do país,  que,  comprometidos  com  o  Reino  de  Deus,  sonham  conosco  com novos  céus  e  nova  terra,  num  jeito  novo  de  ser  Igreja,  de  atuar  em sociedade e de cuidar respeitosa e amorosamente de toda a criação!
  2. Somos   504   participantes,   leigas   e   leigos,   religiosas   e   religiosos, diáconos,  padres  e  bispos,      oriundos  das  comunidades  de  diversas  partes do Norte do país. Sob a assistência do Espírito Santo, refletimos sobre o tema “Espiritualidade das CEBs na Amazônia” e o lema “Por causa da tua Palavra”(Lc 5,5). Compreendemos que na origem das comunidades está a Palavra de Deus e o compromisso de encarná-la na realidade.
  3. Reafirmamos que as CEBs são a forma que o Espírito nos infundiu para sermos Igreja como comunidades, ambiente propício para o cultivo da espiritualidade alicerçada na Palavra Deus, viva e eficaz. Ressaltamos que a Igreja da Amazônia tem uma longa experiência de encarnar a Palavra   no   meio   do   povo,   com   simplicidade,   promovendo   uma   evangelização libertadora, dando voz e vez ao povo, especialmente aos mais simples.
  4. Entendemos que as CEBs são comunidades orantes, místicas, lugar da escuta, oração e cultivo da força interior em Deus; samaritanas, fraternas, sensíveis, próximas das necessidades das pessoas; proféticas, em sua  dimensão  martirial  e  força  transformadora  da  realidade  social;  e  ministeriais, onde todos são chamados ao serviço.
  5. Compreendemos que a espiritualidade das CEBs tem uma dimensão de abertura para o mundo, no horizonte do  mistério  da  encarnação,  visto  que  “Deus  enviou  seu  Filho  ao  mundo,  não  para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele” (Jo 3,17). Neste espírito, as CEBs são sensíveis aos problemas e às lutas dos pobres e excluídos, assumindo o cuidado da vida em todas as suas dimensões, em comunhão com a espiritualidade dos povos amazônicos. A espiritualidade das CEBs  se  expressa  também  como  abertura  para  o  futuro  de  Deus,  o  Reino  de  justiça  e  paz  para todos, que é presente na vida da Igreja sob a forma de esperança, que nos encoraja a assumir a cruz, continuando  a  missão  de  Jesus  Cristo,  resistindo  nos  conflitos  e  perseverando  em  meio  às dificuldades da caminhada.
  6. As CEBs querem ser, na Igreja e no mundo, sinal profético de esperança para que, em comunhão com toda a Amazônia, nesse momento especial do Sínodo, possamos superar as tantas formas de exploração do ser humano e a lógica da colonização das mentes, inclusive no âmbito da atuação dos nossos missionários. Cremos  que  a  sabedoria  do  bem  viver,  do  bem  conviver  e  do  bem  fazer, vivenciada pelos povos originários da nossa região, abre-nos caminhos novos para a evangelização e para uma ecologia integral.
  7. Preocupa-nos também a situação atual do país. Solidarizamo-nos com as famílias que choram a perda de seus  filhos  para  a  crescente  violência  ou  os  veem  encarcerados  sem  condições  dignas, assim como com os trabalhadores que perdem os seus direitos em face do desmonte do já frágil sistema de proteção social.
  8. Unidos às  comunidades  e  famílias  que  nos  receberam,  celebramos  a  Eucaristia,  memorial  da páscoa do Senhor, comprometendo-nos com toda a criação, com o cuidado da Amazônia, para que a região não seja mais explorada como colônia, de onde se retiram as suas riquesas de forma injusta e predatória para satisfazer aos interesses do mercado. De modo especial, somos solidários com os povos  indígenas,  quilombolas,  seringueiros,  ribeirinhos,  tão  ameaçados  e  esquecidos,  bem  como com  as  populações  das  periferias  das  cidades  amazônicas,  tão  desrespeitadas  em  seus  direitos básicos.
  9. Acompanhados pela proteção e benção da Mãe de Deus, celebrada no Círio de Nazaré e invocada na região amazônica com outros tantos nomes, escolhida a Igreja de Itacoatiara, que irá acolher o III Nortão, retomamos a caminhada das CEBs, rumo ao Amazonas, enviando a vocês, irmãos e irmãs das comunidades, nosso abraço fraterno e cheio de revigorada esperança.

Equipe Executiva

II Nortão das CEBs – Porto Velho 2019 – Carta às Comunidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *