32° Romaria da Terra do Paraná.

Nenhum camponês sem terra, mulher sem direito, jovem sem educação e criança sem saúde”

É PRECISO BATER NA CABEÇA DO LOBO PARA QUE AS OVELHAS TENHAM VIDA.

Veículo da Missão: as romarias tem um sentido simbólico, com fonte na própria marcha da humanidade e se originaram na esteira do Concilio Vaticano II, que acabou com a ruptura entre povo, palavra e altar.

Nos dias atuais as romarias tradicionais buscamessencialmente o altar e o santo, enquanto que as romarias da terra introduziram a “Palavra” a reflexão, sendo “sacramento da caminhada, pois elas são o templo do encontro do divino com o humano”.

A Romaria da Terra, é de caráter ecumênico e incorpora ritos e símbolos de outras religiões ao evento, junto ao universo católico,    trabalhando seus lemas a partir da Campanha da Fraternidade e este ano 2019, refletindo as politicas públicas; a 32° Romaria da Terra, aconteceu neste último domingo (18) na cidade rural de Lindoeste com cerca de 6 mil habitantes, na região metropolitana da cidade da arquidiocese de Cascavel, tendo o evento como lema:“Nenhum camponês sem terra, mulher sem direito, jovem sem educação e criança sem saúde”.

É comum nas praças e rodas de conversas das cidades e do campo, escutar de idosos, jovens, o triste desabafo do povo que sofre no caminho dizendo: os Pastores da Igreja de nossos pais já cumpriram a sua missão profética e hoje com seus louvores e orações se encontram acovardados com as tecnologias das mídias de nosso tempo com as portas fechadas nas quatro paredes das sacristias com medo dos lobos de nosso tempo.
No entanto irmãos; não é uma Igreja acovardada, indiferente, que estamos visualizando no Paraná e sim uma Igreja Missionária em saída e presente com seu Pastor que vai ao campo nas periferias existenciais ao encontro das ovelhas que sofre e os acolhem com uma mensagem de esperança.
Foi o que vimos e ouvimos na 32° Romaria da Terra no interior do Parará, onde o povo tinha os olhos fixos no Pastor, e os escutavam.

O evento teve inicio ás 7h00 da manhã na Paróquia Cristo Rei com Missa presidida pelo arcebispo de Cascavel, Dom Mauro Aparecido dos Santos e concelebrada com a presença de Dom Geremias Steinmetz, Dom Manoel João Francisco e diversos sacerdotes do regional Sul 2 CNBB, seminaristas, lideranças do laicato, religiosos(as) e o povo de Deus.

Após a Santa Missa, em um campo aconteceu a reflexão da história da Romaria da Terra, com a participação de grande multidão de romeiros vindos de Curitiba e das dioceses do regional sul 2, com a presença do prefeito da cidade,vereadores e na sequência aconteceu a tradicional caminhada da Romaria da Terra.
Reflexões do Pastor transcrita em síntese.
Dom Mauro: você não precisa se preocupar se as pessoas na sociedade vai nos tachar de comunistas, mais você precisa se preocupar sim! Quando você se encontrar com a pessoa de Jesus Cristo, pois ele vai te dizer: Eu tive fome e tu não me deste de comer. Eu tive sede e não me deste de beber. Eu fui estrangeiro e não me acolheste. Eu tive preso e tu não me visitaste.
É preciso bater na cabeça do lobo para que as Ovelhas tenham Vida.
Dom Geremias Steinmetz: Muitos pensam que o problema da terra está resolvido no oeste do estado do Paraná, mais na verdade não está resolvido e são milhares de pequenos agricultores que a mais de 50 anos ainda não possuem os documentos da terra e não tem acesso aos créditos para trabalhar e cultivar a sua terra.

Veículo da Missão: Em breve publicaremos o documentário daRomaria da Terra, com o áudio e imagens em vídeoMatéria: Tarcísio Cirino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *