40 DIAS PELO RIO: NAVEGANDO JUNTOS A BOA NOVA DE DEUS A CAMINHO DO SINODO AMAZÔNICO. DIA 34 de NAVEGAÇÃO

Um itinerário espiritual em preparação para o Sínodo

Por  Mauricio López Oropeza Secretário Executivo da REPAM

28 de Setembro

PETIÇÃO PERMANENTE PARA O SÍNODO AMAZÔNICO NO INÍCIO DE CADA DIA:

“Que o Deus da vida e da beleza, o Espírito Santo que nos impulsiona para mais fraternidade, unidade e dignidade, o Cristo encarnado da Boa Nova, da inculturação e da
interculturalidade nos proporcionem serenidade, discernimento e coragem para encontrar novos caminhos para a Igreja e para
uma ecologia integral neste Sínodo Amazônico. Tudo isso para o bem e a vida de seus povos e comunidades, e para caminhar mais juntos pelo Reino”.
Medite por alguns momentos neste pedido inicial, busque a calma interior para entrar neste momento para navegar pelas águas da Amazônia e a vida da Igreja a serviço de seus povos e comunidades, e para ouvir o chamado de Deus através de sua palavra viva.

Leitura do dia (cada um e cada uma são convidados a aprofundar a leitura completa de acordo com suas próprias necessidades e critérios):

Louva o Senhor, minh’alma! Ele faz justiça aos oprimidos, dá alimento a quem tem fome. O Senhor livra os prisioneiros, o Senhor devolve a vista aos cegos, o Senhor levanta quem caiu, o Senhor ama os justos, o Senhor protege os estrangeiros, ampara o órfão e a viúva, mas transtorna o caminho dos ímpios. O Senhor reina para sempre, o teu Deus, Sião, por todas as gerações. Aleluia! Salmo 145, 7. 8-9a. 9bc-10

Reexão sob a perspectiva do Sínodo Amazônico:

Como crentes em Jesus, seguindo os apelos do Papa Francisco e em comunhão com toda a Igreja e sociedades, queremos viver uma “cultura do encontro” com os povos indígenas, as comunidades que habitam as margens dos
rios, pequenos agricultores, com as comunidades de fé e em diálogo respeitoso e construtivo com outras religiões e instâncias sociais. Nesse espírito, devemos acompanhar os prediletos de Jesus, aqueles a quem Ele ama e protege, sem medo de perturbar os planos daqueles que buscam simplesmente dominar e acumular sem olhar para a violência e as mortes materiais e existenciais que eles podem causar. Os membros da Igreja Católica na Amazônia querem ser testemunhas vivas de esperança e cooperação e continuam a prestar um serviço evangelizador que se enraíza no solo fértil em que nossos povos amazônicos vivem e em suas culturas.

CONTEMPLAÇÃO

Contemplemos a imagem deste dia e tomemos um momento para reconhecer nossa própria vida e experiência na Igreja e ao serviço da Amazônia para pedir luz nesta palavra de Deus em preparação para o Sínodo. Escrever meus pedidos particulares e permanecer neles durante este dia. Convidamos você a manter um registro de tudo o que o Espírito nos provoca como preparação interior para o Sínodo AMAZÔNICO.

Citação para fechar a meditação:

Provavelmente, nunca os povos originários amazónicos estiveram tão ameaçados nos seus territórios como o estão agora. A Amazónia é uma terra disputada em várias frentes: por um lado, a nova ideologia extrativa e a forte pressão de grandes interesses económicos cuja avidez se centra no petróleo, gás, madeira, ouro e monoculturas agroindustriais; (…) Considero imprescindível fazer esforços para gerar espaços institucionais de respeito, reconhecimento e diálogo com os povos nativos, (…) O reconhecimento e o diálogo serão o melhor caminho para transformar as velhas relações marcadas pela exclusão e a discriminação. Papa Francisco. Encontro com Povos Indígenas Amazônicos. Puerto Maldonado, Peru. Janeiro 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *