40 DIAS PELO RIO: NAVEGANDO JUNTOS A BOA NOVA DE DEUS A CAMINHO DO SINODO AMAZÔNICO. DIA 35 de NAVEGAÇÃO

Um itinerário espiritual em preparação para o Sínodo

Por  Mauricio López Oropeza Secretário Executivo da REPAM

30 de Setembro

PETIÇÃO PERMANENTE PARA O SÍNODO AMAZÔNICO NO INÍCIO DE CADA DIA:

“Que o Deus da vida e da beleza, o Espírito Santo que nos impulsiona para mais fraternidade, unidade e dignidade, o Cristo encarnado da Boa Nova, da inculturação e da
interculturalidade nos proporcionem serenidade, discernimento e coragem para encontrar novos caminhos para a Igreja e para
uma ecologia integral neste Sínodo Amazônico. Tudo isso para o bem e a vida de seus povos e comunidades, e para caminhar mais juntos pelo Reino”.
Medite por alguns momentos neste pedido inicial, busque a calma interior para entrar neste momento para navegar pelas águas da Amazônia e a vida da Igreja a serviço de seus povos e comunidades, e para ouvir o chamado de Deus através de sua palavra viva.

Leitura do dia (cada um e cada uma são convidados a aprofundar a leitura completa de acordo com suas próprias necessidades e critérios):

“Ninguém acende uma lâmpada para escondê-la debaixo de uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ela é posta no candelabro,
a m de que os que entram vejam a claridade. Ora, nada há de escondido que não venha a ser descoberto. Nada há de secreto que não venha a ser conhecido e se tornar público. Olhai, portanto, a maneira como ouvis! Pois a quem tem será dado, e a quem não tem, até aquilo que julga ter lhe será tirado!” Lucas 8,
16-18

Reflexão sob a perspectiva do Sínodo Amazônico:

O Sínodo Especial sobre Pan-Amazônia é uma luz para a Igreja e para o mundo. É um Sínodo que vai muito além da territorialidade em que foi determinado. Também é verdade que seu foco não pode ser perdido, pois isso poderia diluir sua possibilidade de produzir as mudanças e perspectivas necessárias para responder a essa realidade particular, que tanto necessita de uma conversão no caminhoda presença eclesial em vários aspectos. É muito importante que o Sínodo da Pan-Amazônia não perca sua relevância, sua
pertença e, sobretudo, sua capacidade de ser um verdadeiro anúncio de boa nova em meio a circunstâncias tão complexas de fragilidade e ausência por parte da Igreja, de morte para as crescentes expressões de dominação, extermínio e extrativismo neste território, e da necessária recepção e reconhecimento da graça e revelação de Deus em meio à diversidade cultural de seus povos originários
(indígenas) e de outras comunidades. Na medida em que reconhecemos a presença encarnada de Deus neste território, o Sínodo pode ser uma luz no caminho do Reino, e não uma ameaça aos interesses de poucos ou diante dos temores de alguns.

CONTEMPLAÇÃO

Contemplemos a imagem deste dia e tomemos um momento para reconhecer nossa própria vida e experiência na Igreja e ao serviço da Amazônia para pedir luz nesta palavra de Deus em preparação para o Sínodo. Escrever meus pedidos particulares e permanecer neles durante este dia. Convidamos você a Convidamos você a manter um registro de tudo o que o Espírito nos provoca como preparação interior para o Sínodo AMAZÔNICO.

Citação para fechar a meditação:Papa Francisco. Encontro com os Povos da Amazônia. Puerto Maldonado. Janeiro 2018.

O reconhecimento destes povos – que não podem jamais ser considerados uma minoria, mas autênticos interlocutores –, bem como de todos os povos indígenas, lembra-nos que não somos os donos absolutos da criação. É urgente acolher o contributo essencial que oferecem à sociedade inteira, (…) A sua visão do mundo, a sua sabedoria têm muito para nos
ensinar a nós que não pertencemos à sua cultura. Todos os esforços que zermos para melhorar a vida dos povos amazónicos serão sempre poucos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *