Paróquias promovem oficinas e celebração inter-religiosa sobre Consciência Negra em Cuiabá e Várzea Grande (MT)

Equipe Comunicação CEBs/arquidiocese de Cuiabá 

Paróquias de Cuiabá e Várzea Grande (MT)/Regional Oeste 2 organizam e mobilizam uma vasta programação referente à semana da Consciência Negra, com celebração inter-religiosa, oficinas, mesas de debate e atividades culturais. As ações começaram no dia 19 (terça-feira) e se encerram em 23 de novembro (sábado).

A programação foi construída pelas paróquias de Cuiabá do Setor 5 (Sagrada Família, Divino Espírito Santo, Rosário e São Benedito, Coração Imaculado de Maria) e pela paróquia Nossa Senhora das Graças (Várzea Grande). Parceiros na realização das atividades: CEBs, Centro de Estudos Bíblicos (Cebi), Igreja Luterana, Movimento Negro de Mato Grosso, Igrejas de Matrizes Africanas (de Cuiabá) e Economia Solidária.

O tema é “Celebrando histórias, vidas e lutas; somos mais de 300 anos”. A proposta ressalta a resistência, organização popular e força cultural da população negra no Brasil. Ao mesmo tempo, critica a comemoração dos 300 anos de Cuiabá pelas autoridades da cidade, que corresponde à colonização bandeirante do lugar ao custo do sangue das populações negra e indígena.

No dia 19 houve roda de conversa sobre “Políticas Públicas e a Desigualdade Racial”, pela manhã, na Escola Ceja Almira, no bairro CPA 3, em Cuiabá. E às 19h30 ocorreu o seminário “Bíblia e  Negritude –  A Violência pelo Sagrado”, com o professor Luiz Augusto Passos, do Instituto de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). A atividade foi na paróquia Divino Espirito Santo, no CPA I, em Cuiabá.

Na quarta-feira (20), Dia da Consciência Negra, houve mesa de debate, oficinas, tendas, celebração e noite cultural na paróquia Sagrada Família, bairro Carumbé, em Cuiabá.

 

Mesa de debate

À tarde aconteceu a mesa de debate sobre “Políticas Públicas e a Questão Racial”, dividida nos seguintes assuntos:

– Saúde e Práticas Integrativas (com Miguelina Martinha, terapeuta e da coordenação da Economia Solidária)

– Políticas Públicas e a População de Rua (com Glória Maria Munhoz, assistente social e assessora parlamentar)

– Políticas Públicas e Questão Indígena (com Aloir Pacini, padre jesuíta e professor universitário)

– Políticas Públicas e as Mulheres – Religiões de Matrizes Africanas (com Joyce Lombardi, sacerdotisa da Associação Egbé Isesé Lagbá Ifá Irê Omi Layo de Mato Grosso)

– Políticas Públicas e a Mulher  Negra (com Lindisey Catarina de Sá, bacharel em Direito com pós-grauduaçäo em Ciências Penais e produtora Cultural)

– Religiões de Matrizes Africanas (com o babalorixá Paulo Henrique da Silva)

 

Oficinas e tendas

Na tarde de 20 de novembro também houve oficinas e tendas a respeito de:

– Práticas Integrativas da saúde e questão racial (com Miguelina Martinha)

– Beleza Negra: tranças, turbantes e maquiagem (com Laura Abreu)

– Moda (com Carmem Melo, da Economia Solidária)

– Confecção de Bonecas (com Isabel e  Neuzinha Brito)

– Arte e cultura (com Lígia Viana e Dj Taba)

– Enfrentamento ao tráfico de pessoas (com irmãs Cléofa e Nazaré)

Ainda na quarta, às 19h, ocorreu uma Celebração Inter-religiosa. Em seguida houve noite cultural.

E no sábado (23), às 7h30, haverá roda de Conversa na Escola José Mendes Martins, no município de Várzea Grande, a respeito da Consciência Negra.

nsci

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *