Autor: Comunicação

CEBs/Rondonópolis (MT) refletem sobre importância e próximos passos do Sínodo

CEBs/Rondonópolis (MT) refletem sobre importância e próximos passos do Sínodo

- OESTÃO, Destaque, Sínodo Pan-Amazônia
Maria de Lourdes (Equipe de Comunicação CEBs/paróquia São José Operário) A evangelização na Amazônia e o respeito aos recursos naturais foram tema de reunião das CEBs da paróquia São José Operário, em Rondonópolis (MT), e da coordenação das CEBs na diocese de Rondonópolis-Guiratinga. A atividade ocorreu nesta segunda-feira (25) e foi assessorado pelo bispo dom Juventino Kestering. Ele falou sobre o Sínodo da Pan-Amazônia, que ocorreu em outubro em Roma com a participação do papa Francisco e tratou da presença espiritual, ambiental e social da igreja na região. Dom Juventino ressaltou que os desafios colocados pelo Sínodo servem de reflexão e ação para a igreja como um todo. Ele explicou que houve um momento muito importante antes dessa grande reunião entre o papa, bispos, padres,
NOVOS CAMINHOS DE CONVERSÃO. SINODAL O modus vivendi et operandi da Igreja na Amazônia.  Agenor Brighenti

NOVOS CAMINHOS DE CONVERSÃO. SINODAL O modus vivendi et operandi da Igreja na Amazônia. Agenor Brighenti

- SULÃO, Artigos, Destaque, Destaque News
Fundamental para o exercício da sinodalidade na Igreja na Amazônia é "alargar os espaços para uma presença feminina mais incisiva", por meio de uma “participação ativa na comunidade eclesial” (n. 99). O Capítulo V do Documento Final do Sínodo da Amazônia faz da sinodalidade o modus vivendi et operandi da Igreja na Amazônia. Começa afirmando que, por sua natureza, a Igreja, “enquanto Povo de Deus sob o dinamismo do Espírito” é sinodal - “comunhão e participação, especialmente na ministerialidade e na sacramentalidade”. A sinodalidade “é uma dimensão constitutiva da Igreja” e, portanto, não se pode ser Igreja “sem reconhecer um efetivo exercício do sensus fidei de todo o Povo de Deus” (n. 88). Uma melhor integração da vida consagrada, dos leigos, em especial das mulheres, clama por uma co
IDENTIDADE DO CRISTÃO LEIGO E LEIGA, VERDADEIRAMENTE SUJEITO ECLESIAL.  Marilza José Lopes Schuina

IDENTIDADE DO CRISTÃO LEIGO E LEIGA, VERDADEIRAMENTE SUJEITO ECLESIAL. Marilza José Lopes Schuina

- OESTÃO, Artigos, Destaque, Destaque News
Participar da função sacerdotal de Cristo nos faz sacerdotes como ele o foi na dimensão do serviço. IDENTIDADE DO CRISTÃO LEIGO E LEIGA, VERDADEIRAMENTE SUJEITO ECLESIAL Marilza José Lopes Schuina Introdução Estaremos comemorando o “Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas”, na Solenidade de Cristo Rei, neste domingo, 24 de novembro. Convido-os a uma breve reflexão sobre a identidade do cristão leigo e leiga. Desde o Concílio Vaticano II a Igreja tem dado ênfase ao protagonismo do leigo e da leiga na Igreja e na Sociedade, especialmente a Igreja na América Latina e Caribe, através de suas Conferências Episcopais. Na Conferência de Aparecida (2007), o leigo é apresentado como “verdadeiro sujeito eclesial”. Falar do cristão leigo e leiga como sujeito eclesial é falar de alguém envia
A meta da história: o projeto divino e as cruzes de cada dia. Marcelo Barros

A meta da história: o projeto divino e as cruzes de cada dia. Marcelo Barros

Artigos, Destaque, Destaque News
O evangelho não pode ser lido com os olhos dos governantes de extrema-direita que defendem tortura e pena de morte. O Estado não tem direito de matar ninguém.  A pior opressão é a opressão interiorizada. A pior colonização é a colonização dentro de nós mesmos. Na Igreja Latina, esse é o último domingo do tempo comum, (no próximo começaremos um novo ano litúrgico). Desde a reforma litúrgica, este domingo é consagrado como festa de Cristo, rei do Universo. Comumente, a Igreja explica que Jesus é rei de modo diferente dos reis desse mundo. É rei como servidor e por dar a sua vida por todos nós. No entanto, mesmo assim, esse título, por mais que se reinvente, tem sempre algo de estranho a Jesus. Em uma de suas meditações, Dom Helder diz que sabe que Jesus não gosta e não quer esse título. V
Sínodo da Amazônia (VI) NOVOS CAMINHOS DE CONVERSÃO ECOLÓGICA. A dimensão socioambiental da evangelização.  Agenor Brighenti

Sínodo da Amazônia (VI) NOVOS CAMINHOS DE CONVERSÃO ECOLÓGICA. A dimensão socioambiental da evangelização. Agenor Brighenti

- SULÃO, Artigos, Destaque, Destaque News
  O Documento adverte que “é urgente enfrentar a exploração ilimitada da casa comum e dos seus habitantes”. O Capítulo IV do Documento Final do Sínodo da Amazônia propõe “novos caminhos para uma conversão ecológica”, dada a atual “crise socioambiental sem precedentes”. O bioma amazônico “está ameaçado de desaparição, com tremendas consequências para nosso planeta”. A única saída é promover uma ecologia integral, que promova “um modelo de desenvolvimento justo e solidário”, em que temos muito que aprender “de nossos irmãos e irmãs dos povos originários” (n. 65). Conversão urgente antes que seja tarde demais O Documento adverte que “é urgente enfrentar a exploração ilimitada da casa comum e dos seus habitantes”. Uma das principais causas de destruição na Amazônia “é a atividade
Paróquias promovem oficinas e celebração inter-religiosa sobre Consciência Negra em Cuiabá e Várzea Grande (MT)

Paróquias promovem oficinas e celebração inter-religiosa sobre Consciência Negra em Cuiabá e Várzea Grande (MT)

- OESTÃO, Destaque News
Equipe Comunicação CEBs/arquidiocese de Cuiabá  Paróquias de Cuiabá e Várzea Grande (MT)/Regional Oeste 2 organizam e mobilizam uma vasta programação referente à semana da Consciência Negra, com celebração inter-religiosa, oficinas, mesas de debate e atividades culturais. As ações começaram no dia 19 (terça-feira) e se encerram em 23 de novembro (sábado). A programação foi construída pelas paróquias de Cuiabá do Setor 5 (Sagrada Família, Divino Espírito Santo, Rosário e São Benedito, Coração Imaculado de Maria) e pela paróquia Nossa Senhora das Graças (Várzea Grande). Parceiros na realização das atividades: CEBs, Centro de Estudos Bíblicos (Cebi), Igreja Luterana, Movimento Negro de Mato Grosso, Igrejas de Matrizes Africanas (de Cuiabá) e Economia Solidária. O tema é “Celebrando his
Muito canto, dança, emoção e espiritualidade em celebração afro em Rondonópolis (MT)

Muito canto, dança, emoção e espiritualidade em celebração afro em Rondonópolis (MT)

- OESTÃO, Consciência Negra, Destaque
Equipe Comunicação CEBs/diocese de Rondonópolis-Guiratinga CEBs, pastorais sociais e movimentos populares da diocese de Rondonópolis-Guiratinga (MT)/Regional Oeste 2 comemoraram bastante o Dia da Consciência Negra (quarta-feira, 20). Foi momento de festa e reivindicação. Memória de lutas, dores e conquistas.  Confira galeria de fotos ao final. As atividades ocorreram no município de Rondonópolis, na Comunidade São Vicente de Paulo, bairro Vila Verde, paróquia São José Operário, a partir das 19h. Destaque para a celebração afro.  Muito canto com uso de voz, batuque, teclado, pandeiro e violão. Muita dança. Pessoas juntinhas, todas em círculo. Flores e enfeites. Encenações. Mãos dadas. Crianças, adolescente, adult@s, idos@s. Bênção à Nossa Senhora Aparecida. Leitura e reflexão
União e resistência negra. Marcelo Barros.

União e resistência negra. Marcelo Barros.

- SULÃO, Artigos, Destaque, Destaque News
No Brasil, essa semana é marcada pela memória do martírio do Zumbi dos Palmares no 20 de novembro de 1697 e pela comemoração dessa data que, em todo o país, se tornou “Dia da união e consciência negra”. A comemoração anual da memória do Zumbi é importante em um Brasil que ainda mantém a herança de forte desigualdade social. Atualmente, o Brasil é o país com a segunda maior população negra do mundo (Só perde para a Nigéria). No entanto, essa população continua a ser majoritariamente pobre e explorada. No seu livro Escravidão, Laurentino Gomes afirma: “Negros e pardos representam 54% da população brasileira, mas sua participação entre os 10% mais pobres é muito maior de 78%. Na educação, enquanto 22% da população branca tem 12 anos de estudo ou mais, a taxa é de 9, 4% para a população neg
Missa quilombola anima quilombo urbano em São Luís (MA)

Missa quilombola anima quilombo urbano em São Luís (MA)

- NORDESTÃO, Destaque
Texto, fotos e vídeo: Neguim das CEBs/São Luís (MA) Em uma celebração muito animada as CEBs de São Luís (Maranhão) comemoraram a 9ª missa quilombola. Dessa vez a comunidade escolhida foi a de Fé em Deus na Liberdade, na igreja de Santo Expedito, que está no meio do primeiro quilombo urbano do estado. A missa, que ocorreu no dia 15, também foi uma alusão ao Dia da Consciência Negra, que se comemora em 20 de Novembro em vários estados do Brasil. A missa quilombola foi celebrada pelo padre Raimundo, da paróquia São Daniel Comboio, em Vila Embratel, estando com ele no altar o reverendo Alfredo Bambeta, da Igreja Anglicana no Brasil. Confira trecho da missa. https://www.youtube.com/watch?v=FWgzRCyqvyQ&feature=youtu.be A equipe de animação estava representada por uma bela tur
Santuário das Comunidades acolhe encontro das CEBs do Nordeste II

Santuário das Comunidades acolhe encontro das CEBs do Nordeste II

- NORDESTÃO, Destaque
Fernanda Melo/Regional Nordeste II O Santuário das Comunidades, em Caruaru (PE), acolheu o 4º Encontro anual das CEBs. Cerca de 40 pessoas de 14 dioceses do Regional Nordeste II, participaram das atividades, que ocorrerem entre os dias 15 e 17. Confira galeria de fotos ao final. O Nordeste II é formado por Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O encontro iniciou com uma oração fazendo memória da caminhada e das edições anteriores. No sábado de manhã (16) tivemos um momento de reflexão sobre o Sínodo da Pan-Amazônia e os novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral. Também refletimos sobre a reorganização das estruturas das dioceses da região amazônica. A assessoria foi dada por dom Manoel de Oliveira Soares Filho, bispo da Diocese de Palmeira dos Índios (A