Destaque

Uma Páscoa Para Hoje. Marcos Aurelio dos Santos

Uma Páscoa Para Hoje. Marcos Aurelio dos Santos

- NORDESTÃO, Destaque, Destaque News
Todos nós somos chamados à fraternidade em uma demonstração concreta de amor pelos excluídos, não de palavras em meio a discursos vazios, mas no fazer. A ressurreição dos corpos banhados de sangue pela violência emerge de maneira forte e simbólica nas falas e ações daqueles que decidiram lutar pela libertação dos pobres, ressurreição que deve se concretizar na vida, no dia a dia de cada um de nós. O caminho de Jesus de Nazaré até a cruz foi pontuado por seu amor libertador a um povo vítima da opressão político-religiosa. Um fato histórico e revolucionário que nos desafia a refletir a páscoa a partir de uma nova leitura do texto bíblico, no contexto da realidade da vida hoje. A páscoa, que celebra a ressurreição do Cristo crucificado não é para ontem, não é para dois mil anos atrás, a pá
Semana Santa e Políticas Públicas.  Marcelo Barros

Semana Santa e Políticas Públicas. Marcelo Barros

Artigos, Destaque, Destaque News
Atualmente, a cruz continua existindo. No tempo da ditadura militar brasileira, tornou-se famosa como instrumento de tortura de presos políticos. Até hoje, o “pau de arara” resiste em não poucas delegacias que atendem pobres. No entanto, mais do que uma madeira na qual os indefesos são pendurados, a cruz se tornou realidade de imensa maioria da humanidade, roubada dos seus direitos de viver dignamente. No mundo atual, mais de um bilhão de pessoas não tem segurança alimentar. Milhões não têm acesso à agua potável e passam fome. Multidões são obrigados a deixar sua terra para não morrer em meio à fome, à guerra, enquanto os que ficam sobrevivem em condições de uma pobreza injusta, apenas para garantir o lucro e o conforto de uma minoria ínfima de privilegiados. Em todos os continentes, as
Significado Político Teológico da Morte de Jesus.

Significado Político Teológico da Morte de Jesus.

- SULÃO, Destaque, Destaque News
“Padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado…” Nas formas mais antigas do Símbolo Apostólico, encontramos a inserção da morte de Jesus na História. No Símbolo Apostólicose professa: “Padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado”[1].Também o Credo Niceno-constantinopolitano o afirma: “Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado”[2]. De acordo com o Dicionário Aurélio, o termo padecer significa: “Ser afligido, atormentado, martirizado por, sofrer, suportar, aguentar, sofrer dores físicas”. Éimportante notarmos, pois, que esta evocação do Credo de nossa fé mostra que a morte de Jesus na cruz é histórica, fruto de procedimentos históricos e, por isso mesmo, o fato mais bem atestado de todo o Novo Testamento. Mesmo saben
Curso de Polinizadores em Mudanças Climáticas, momento de repensar as reflexões climáticas na perspectiva da ecologia integral

Curso de Polinizadores em Mudanças Climáticas, momento de repensar as reflexões climáticas na perspectiva da ecologia integral

- NORTÃO, Destaque, Destaque News
Que cada um “possa  realmente ser agente de informação e prática no que se apreende, muitas vezes descontruir para construir, que possa incidir na nossa base, com os diferentes grupos, partindo desse diálogo sobre a ecologia integral e a importância do cuidado para nossa Casa Comum." Uma parceria entre a Universidade Federal de Roraima – UFRR, a Caritas diocesana e a Rede Eclesial Pan-Amazônica – REPAM, com a assessoria do Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social – FMCJS, e o Serviço Amazônico de Ação, Reflexão e Educação Socioambiental – SARES, tem propiciado a criação do “Curso de Polinizadores em Mudanças Climáticas e Justiça Social”, que teve sua abertura no último sábado, 13 de abril, em Boa Vista, capital do estado. Ao longo de sete meses, o curso de caráter semipresencial
Jesus de Nazaré: Profecia  e Opção Pelos  Pobres

Jesus de Nazaré: Profecia e Opção Pelos Pobres

- NORDESTÃO, Destaque, Destaque News
A entrada de Jesus de Nazaré em Jerusalém é uma profecia para hoje. Os impérios da opressão  e as  forças do neoliberalismo econômico e do conservadorismo político e religioso têm se levantando em nosso país com ares de maldade para realizar um desmonte sem precedentes. Por isso, a profecia de Jesus de Nazaré não é para ontem. A profecia deve se fazer presente na vida, no contexto e na realidade em que vivemos, nos múltiplos desafios que nos cercam. Uma jumenta e um jumentinho emprestados.  Em pequenos galopes de simplicidade, Jesus se aproxima de Jerusalém. Ramos retirados das árvores para anunciar a chegada do Deus pobre, tecidos usados como tapete em um contraponto aos tapetes luxuosos do imperador de Roma. Uma multidão de pobres aguardam a chegada do Messias libertador. Pescadores
27 de abril de 2019, el día elegido para beatificar las víctimas de la dictadura.  La historia de los mártires riojanos.

27 de abril de 2019, el día elegido para beatificar las víctimas de la dictadura. La historia de los mártires riojanos.

Articulação Continental, Destaque, Destaque News
El 8 de junio de 2018 el obispo de La Rioja Marcelo Colombo anunció la autorización del Papa Francisco del decreto por el que se reconoce el martirio en odio de la fe de los cuatro mártires riojanos. El 27 de abril de 2019 será el acto de beatificación en La Rioja. El 27 de abril serán declarados beatos los primeros miembros de la Iglesia que llegar a los altares por su martirio. El 27 de este mes cuatro hermanos nuestros serán reconocidos oficialmente durante una ceremonia de beatificación en La Rioja como los primeros mártires de la Iglesia que peregrina en la Argentina. Uno de ellos era un laico, Wenceslao Pedernera, oriundo de San Luis, que dejó inconclusos sus estudios primarios y desde muy joven trabajó primero en una calera y después en las bodegas G
Domingo de Ramos: Cristo vai ao encontro da morte. Quininha Fernandes Pinto.

Domingo de Ramos: Cristo vai ao encontro da morte. Quininha Fernandes Pinto.

- LESTÃO, Artigos, Destaque, Destaque News
O grito de Jesus reflete e ecoa nos gritos do povo brasileiro, refém da corrupção política e militar - institucionalizada - poderes estes que se arvoram a ser donos da vida do povo, decidindo quem vive e quem morre, ao bel prazer de uma postura autoritária e assassina... Na encarnação, Jesus fez sua, tomou para si a pobreza radical do ser humano perante Deus. Não se subtraiu à nossa condição de homens/mulheres pecadores, ao sofrimento que provém do egoísmo, nem aos limites da natureza humana, entre os quais também e antes de tudo, a morte. Mas isto não bastaria para fazer dele um Salvador. O que resgata a sua morte, o que a transfigura e a transcende - para ele para nós - é o imenso peso de amor que Ele coloca no dom da Sua vida, para libertar-nos da violência e do ódio, do fanatismo
Escola de Formação de Formadores e Articuladores para as CEBs. CEBs Unidade nas Diversidades.

Escola de Formação de Formadores e Articuladores para as CEBs. CEBs Unidade nas Diversidades.

- SULÃO, Destaque, Destaque News
É preciso libertar-se da idealização do passado e da dificuldade de ler a complexidade do presente para entender e acolher as Comunidades Eclesiais de Bases, as CEBs em sua unidade nas diversidades de sua organização nos Regionais da Igreja do Brasil. As CEBs, diante da realidade que se transforma em nosso imenso Brasil, continuam e/ou vão surgindo e organizando-se de acordo com as realidades locais, com as peculiaridades dos regionais. Forma de organizações distintas é preciso ser respeitada e acolhida, visto que, as realidades como um todo não são iguais, para exemplificar, realidades geográficas, econômicas, estruturais e eclesiais. O que não pode é haver divergência da centralidade do que caracteriza uma Comunidade Eclesial de Base. Tem que haver um só eixo. Uma só linha dorsal.
As faixas, pipas e bandeiras dos nossos domingos de Ramos. Marcelo Barros

As faixas, pipas e bandeiras dos nossos domingos de Ramos. Marcelo Barros

Artigos, Destaque, Destaque News
Hoje, para as paróquias e dioceses, fazer a procissão de Ramos é fácil. É um símbolo que deixou de ser perigoso. Hoje, ninguém vai fazer como aqueles escribas que, com medo da repressão política, pediram a Jesus: manda os discípulos se calarem. Mas, precisamos levar Jesus à Jerusalém que, hoje, é a nossa cidade, com comunidades pobres, ameaçadas em seus direitos de moradia, com projetos urbanísticos pensados para a classe rica e sempre à custa do deslocamento e da marginalização dos mais pobres. A liturgia do Domingo de Ramos une elementos de duas antigas celebrações. De acordo com o testemunho de Etérea, peregrina em Jerusalém, no século IV, nesse domingo, a comunidade cristã de Jerusalém encenava em uma procissão o que teria sido a entrada de Jesus na cidade, para celebrar a sua Pásco
SEMANA SANTA ¿SOLAMENTE MUY DEVOTA O DEVOTAMENTE COMPROMETIDA? ¿Celebrada pasivamente o como cristianos-ciudadanos comprometidos?

SEMANA SANTA ¿SOLAMENTE MUY DEVOTA O DEVOTAMENTE COMPROMETIDA? ¿Celebrada pasivamente o como cristianos-ciudadanos comprometidos?

Articulação Continental, Artigos, Destaque, Destaque News
Viacrucis de Jesús, Viacrucis del Pueblo. Crucifixión de Jesús y Crucifixión del Pueblo hoy. Como bien nos decían los Mártires de la UCA: ” hay que bajar de la Cruz a los Crucificados de nuestra historia”. Y si nos duele la Pasión de Jesús, no podemos ser Indiferentes a la Pasión de los más Pobres y Oprimidos. No podemos ser Indiferentes al Dolor de todo nuestro Pueblo. Sin duda podemos celebrar la Semana Santa al modo tradicional con mucha devoción. Pero lo importante es celebrarla como la vivió Jesús con el pleno compromiso de su vida y en medio de un muy grave conflicto social, político y religioso. Podríamos hablar de la dimensión política de la Semana Santa, pero esa palabra sobre todo ahora, está muy contaminada. Por eso mejor hablemos de una Semana Santa vivida con devoción, pero