CEBs-Mato Grosso têm nova coordenação

Cleuza empossa novo coordenador, Rinaldo, durante assembleia.

As Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) de Mato Grosso, Regional Oeste 2, têm nova direção. Maria Cleuza Feriani da Silva, da diocese de Sinop, deixa a coordenação e em seu lugar assume Rinaldo Cardoso Meira, da diocese de Rondonópolis-Guiratinga.

O processo de escolha da nova equipe ocorreu durante a 10ª Assembleia Regional das CEBs-MT, em Cuiabá, realizada entre os dias 2 e 4. Rinaldo foi secretário na gestão de Cleuza, que no mandato anterior havia sido vice-coordenadora.

A nova direção também é composta por Anderson Batista Redez (diocese de Cáceres; tesoureiro na coordenação passada), Célia Aparecida de Paula (diocese de Juína) e Helen Pereira Luz (diocese de Barra do Garças).

Rinaldo está nas CEBs há 16 anos.

A escolha foi a partir de rodízio (manutenção de dois membros da direção atual) e indicação de outros dois nomes por parte da assembleia.

No horizonte, o fortalecimento de uma “igreja em saída”, os desafios de um estado rico mas injusto socialmente e a realização do 15º Intereclesial, em 2022.

“A minha perspectiva é de continuar a construção dessa igreja que há tempos nós estamos debatendo, construindo. E a gente espera, com muito carinho, que o Intereclesial seja um momento de fortalecer ainda mais essa caminhada, a construção dessa ‘igreja em saída’, uma ‘igreja pé-no-chão’, onde as pessoas se respeitam, partilham, celebram, vivenciam a experiência das primeiras comunidades, pela partilha, fração do pão, do caminhar juntos, da unidade, da comunhão”.

Palavras do novo coordenador, que tem 39 anos e há 16 está nas CEBs. Ele é advogado, servidor público e começou sua caminhada na igreja a partir da Pastoral da Juventude (PJ). Rinaldo atua na comunidade São João Batista, na paróquia Bom Pastor, em Rondonópolis.

“Esperamos que as CEBs sejam essa presença na vida das comunidades, na vida da igreja, na vida do povo. E queremos que isso ocorra a partir de uma espiritualidade integral, que contemple nossa relação com Deus, conosco, com nossos irmãos e a natureza”, completou.

Cleuza destacou descentralização de ações.

A nova coordenação deve se reunir nos próximos dias com o bispo da diocese de Rondonópolis-Guiratinga, dom Juventino Kestering, de 71 anos, para tratar dos aspectos mais gerais do 15º Intereclesial. A comitiva também terá presença de dom Neri José Tondello, de 51 anos, que é bispo da diocese de Juína e referencial das CEBs no Regional Oeste 2.

Geralmente, a diocese acolhedora fica responsável pela infraestrutura e formação. Essa segunda função envolve as famílias que vão acolher delegadas/os em suas casas, equipes de serviço e paróquias engajadas na organização do encontro.

 

Descentralização de ações e foco na formação

Cleuza elogiou a disposição de pessoas mais jovens para assumirem a coordenação e se dispôs a auxiliar nas comunidades de base, assim como as ampliadas Regional e Nacional.

“Destacaria nesse período em que fui coordenadora das CEBs a descentralização das ações do Regional para todas as dioceses e a prelazia. E também os vários cursos de formação, encontros diocesanos, interdiocesanos, além do Regional que fizemos em São Félix do Araguaia, e da nossa participação no Intereclesial de Londrina, que culminou com a escolha de Mato Grosso para sediar o 15º”.

Cleuza agora passa a fazer parte da equipe de assessoria das CEBs de Mato Grosso, conforme indicação durante a assembleia.

Rinaldo, Helen, Cleuza, Célia e Anderson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.