Diocese de Rio Branco emitem nota de apoio ao Papa Francisco

Em decorrência dos acontecimentos recentes, a Diocese de Rio Branco (regional Noroeste) emitiu uma nota reforçando a importância do apoio das pastorais, movimentos, serviços, organismos e entidades de toda a igreja ao Papa. Confira a seguir a nota.

Papa Francisco. Foto: Vatican News

 

Nota de Apoio da Diocese de Rio Branco ao Papa Francisco

 

Nós, como Igreja Católica, presente na Diocese de Rio Branco, manifestamos o nosso apoio incondicional, irrestrita unidade, comunhão e obediência ao Papa Francisco. Ao mesmo tempo, lembramos que quem ofende o Papa, ofende a Igreja e atenta contra o Espírito Santo.

Portanto, quem tem esse tipo de comportamento, está fora da comunhão da Igreja, ou seja, excomungado. Pois, o sucessor de Pedro é escolhido por Deus para guiar a sua Igreja, sob a ação do Espírito Santo.

Assim, reunidos no Conselho Diocesano de Pastoral, diante de tantas manifestações contrárias ao Santo Padre, que circulam nas redes sociais e outros meios de comunicação; nós, bispo, presbíteros, diáconos, seminaristas, religiosas e fiéis leigos e leigas, representado todas as paróquias, quase-paróquias, áreas missionárias, pastorais, serviços, movimentos e organismos, fazemos as seguintes considerações:

  1. “Quem publicamente excitar aversão ou ódios dos súditos contra a Sé Apostólica ou contra o Ordinário por causa de algum ato do poder ou do ministério eclesiástico, ou provocar os súditos à desobediência aos mesmos, seja punido com o interdito ou outras penas justas” (Cân. 1373).
  2. Uma coisa é questionar ou perguntar-se sobre certas decisões ou posicionamentos do Papa, com espírito filial e construtivo, e outra é cobrir de insultos, procedentes de pessoas desconhecedoras da Doutrina da Igreja, e até do próprio Evangelho.
  3. Quem ofende o Papa, ofende a Igreja, junto com seus bispos, o clero e todo o Povo de Deus e, portanto, não é guiado pelo Espírito de Deus, mas inspirado pelo inimigo, que sempre tentará acabar com a obra de Deus (cf. Mt 4,1-11).
  4. O Papa é contrário aos princípios que guiam o mundo e, por isso, produz reações contrárias e ofensivas. Ele tem outros sonhos, outras sedes.
  5. O católico tem o dever de rezar pela sua Igreja (cf. At 12,5) e não espalhar ódio e rancor, porque isso é a “fumaça de Satanás” para destruir os cristãos (cf. Prov. 6,16-19)
  6. Como diz o Evangelho, devemos ser sal e luz, e não ajudar a criar mais trevas no mundo em que nos encontramos.
  7. Por fim, lembramos que o demônio usa a divisão para enfraquecer o homem. Quando a alma do homem está dividida pelo pecado, o egoísmo se instala e a inveja toma seu trono no coração humano. A inveja de Caím, fruto de um coração dividido e egoísta, levou a assassinar seu irmão (cf. Gn 4, 5-7). Portanto, quem fala mal do Papa, age como assassino e é réu de condenação (Mt 5,22).
  8. Sejamos, pois, submissos e obedientes aos que nos guiam (cf. Hb 13,17), repetindo sempre: “EU estou com o Papa, EU estou com a Igreja, EU estou com Cristo”.

Com minha bênção para todos os que vivem, e querem viver, em unidade e comunhão com o Papa Francisco.

Dom Joaquín Pertíñez
Bispo de Rio Branco

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *