O Papa Francisco e as Comunidades Eclesiais de Base – duas primaveras na Igreja

“Não deixemos que nos roubem a esperança” (EG 86)

Durante a Ampliada Nacional das Comunidades Eclesiais de Base – CEBs, em Rondonópolis-MT, em janeiro passado, tendo presente a análise de conjuntura e o relato dos bispos que estiveram no Sínodo para a Amazônia (Dom Juventino Kestering e Dom Giovane Melo), os participantes da ampliada decidiram enviar uma carta de apoio ao Papa Francisco diante dos ataques que o papa vem enfrentando dentro e fora da Igreja.

No dia 09 do mês de março de 2020 através da Secretaria de Estado, o Papa Francisco respondeu a mensagem da Ampliada das CEBs, onde agradece os sentimentos de adesão e  solidariedade, manifestando felicidades aos membros das CEBs, aos seus familiares e fazendo um convite para que olhemos para Jesus Crucificado, para o seu Coração aberto porque daí foi derramado o Espírito que nos renova (Cf. Jo 19,30). O Papa Francisco diz da sua satisfação por estarmos nas CEBs, que esse é um serviço de entrega, doação e pede para continuarmos rezando por ele concedendo às CEBs do Brasil a sua benção apostólica.

O Papa Francisco como latino-americano, conhecedor das CEBs, principalmente nos tempos difíceis das ditaduras, onde as CEBs aparecem como luzes, esperança e espaço de liberdade, fala das CEBs com simpatia e estima. Suas palavras são bastante positivas e animadoras para as CEBs. No Documento de Aparecida, onde foi relator quando ainda era o cardeal Jorge Bergoglio, as CEBs são lembradas como um instrumento que permite ao povo “chegar a um conhecimento maior da Palavra de Deus, ao compromisso social em nome do Evangelho, ao surgimento de novos serviços leigos e à educação da fé dos adultos” (DAp n.178).

Na Evangelli Gaudium, dirigindo-se a toda a Igreja, o Papa Francisco escreve que as Comunidades Eclesiais de Base “trazem um novo ardor evangelizador e uma capacidade de diálogo com o mundo que renovam a Igreja”(Exort. Ap. Evangelii Gaudium, 29).

Durante o 13° Intereclesial das CEBs em Juazeiro do Norte, Ceará nos dias 7 a 11 de janeiro de 2014,  na mensagem que dirigiu aos participantes o Papa Francisco pede às CEBs para que ajudem a Igreja a viver com renovado ardor os compromissos do Evangelho de Jesus no seio da sociedade brasileira. “De fato, o lema deste encontro “CEBs, Romeiras do Reino, no Campo e na Cidade” deve soar como uma chamada para que estas assumam sempre mais o seu importantíssimo papel na missão Evangelizadora da Igreja” (Mensagem do Papa Francisco ao 13° Intereclesial das CEBs).

Na mensagem dirigida aos participantes do 14° Intereclesial das CEBs em Londrina, Paraná, nos dias 23 a 27 de janeiro de 2018, onde se refletiu a questão urbana e seus clamores, o Papa Francisco manifesta  o desejo que a CEBs diante do desafio do mundo urbano, seja “um novo ardor evangelizador e uma capacidade de diálogo  com o mundo que renovam a Igreja’’ (Exortação Ap. E.G. 29); que as CEBs possam ser, na nação brasileira, um instrumento de evangelização e de promoção da pessoa humana; capaz de vir de encontro aos terríveis efeitos da cultura do “descarte”, que leva tantos irmãos e irmãs a viverem excluídos (Mensagem do Papa Francisco ao 14° Intereclesial das CEBs).

Mais recentemente, na Exortação Apostólica Querida Amazônia, fala de comunidades cheias de vida, da múltipla riqueza de dons e serviços que o Espírito derrama, fala de cristãos leigos e leigas que assumem o protagonismo de animação e formação das comunidades, e, se referindo especificamente às   Comunidades Eclesiais de Base, diz que elas “sempre souberam integrar a defesa dos direitos sociais com o anúncio missionário e a espiritualidade, foram verdadeiras experiências de sinodalidade no caminho evangelizador da Igreja na Amazônia (Exortação Apostólica Querida Amazônia n. 96).

Concluo agradecendo ao Papa Francisco o compromisso e o carinho com que ele trata as Comunidades Eclesiais de Base e nos comprometemos a rezar para que, com o Papa Francisco, continuemos fazendo florescer e frutificar essa Igreja de comunidades eclesiais proféticas, misericordiosas, zelosas dos pequenos,  defensoras e cuidadoras da Casa Comum e de todos que nela habitam.

Veja aqui a carta resposta do Papa Francisco a Dom Giovane e às CEBs do Brasil.

 

+ Giovane Pereira de Melo
Bispo de Tocantinopolis-TO (Regional Norte 3)
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato – CNBB

One Comment

  • MARIa José Vieira Ramos

    Participei dos últimos quatro Intereclesial. Cada um , uma grande experiência vivida.
    Maria José, diocese Bragança Paulista, S São Paulo.

Deixe uma resposta para MARIa José Vieira Ramos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.