BASTA DE MÁ INFORMAÇÃO NOS CHAMADOS MEIOS CATÓLICOS DE COMUNICAÇÃO

Nós, presbíteros dos Grupos Padres da Caminhada e Padres Contra o Fascismo, de todos os Estados do Brasil, sentimo-nos no grave dever de apelar às autoridades da Igreja Católica Apostólica Romana para que proíbam a circulação de informações falsas ou deturpadas por parte de canais católicos de televisão.

Há tempos estamos sofrendo com essas inverdades que alguns canais católicos disseminam, confundindo sobretudo o povo simples de nossas comunidades, que os escutam como se estivessem ouvindo o próprio Deus. Sabemos que, na era da comunicação eletrônica e das redes sociais digitais, as instituições tradicionais perderam seu poder de influência e de respaldo à verdade. Qualquer líder religioso que se serve das redes para transmitir suas mensagens, tem garantida a difusão de sua fala em escala geométrica.

Vivemos hoje uma situação em que pessoas que possuem escasso conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que os outros consistentemente preparados. Isso faz com que tomem decisões equivocadas e cheguem a resultados indevidos. A incompetência restringe sua capacidade de reconhecer os próprios erros. Estas pessoas apostam numa superioridade ilusória. Desta forma, o poder mágico da telecomunicação empodera quem nela aparece, sobretudo se arroga para si o falar em nome de Deus, de Jesus Cristo ou da Igreja. Pessoas visivelmente despreparadas falam com tanta convicção e arrogância sobre assuntos que não conhecem, que acabam por transmitir uma opinião absurda como se fosse a mais pura verdade.

Em contrapartida, pessoas muito capacitadas podem diminuir sua autoconfiança e sofrer de inferioridade ilusória. Estas pessoas, acostumadas à vigilância e à autocrítica constantes, podem pensar que não são tão capacitadas e passam a subestimar as próprias habilidades. No limite, chegam a acreditar que pessoas menos capazes são tão ou mais capazes do que eles.

Há canais e pregadores que, valendo-se do título de católicos e arvorando-se a defensores da ortodoxia, passam por cima da autoridade dos bispos locais, não sintonizam com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e mantêm uma comunhão mais formal do que afetiva e efetiva com o Papa Francisco. Não há instância externa a eles que os regule, avalie e se lhes contraponha quando necessário. Podem causar um mal irreparável tanto na transmissão das verdades da fé quanto na formação da opinião pública, e muitas vezes formam, com aquele meio de comunicação uma comunidade de pertencimento, que funciona como um referencial absoluto de suas informações, ideias, valores, convicções, comportamentos pessoais e sociais. 

Neste dramático tempo de pandemia, que já ceifou mais de 2.000.000 de vidas no mundo e mais de 212.000 no Brasil (nosso país, com 2,7% da população mundial, tem se mostrado responsável por 10% de óbitos por Covid-19 no planeta!) a Igreja Católica vem se colocando coerente e generosamente a serviço da vida. Basta ver as atitudes e os gestos do Papa Francisco e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e da REPAM.

Por isso, é inadmissível que, na contramão, pregadores católicos despreparados, quando não ideologizados, minimizem as medidas sanitárias básicas, como o uso de máscaras, a higienização das mãos, o distanciamento social, e indisponham as pessoas contra a única medida capaz de debelar o vírus, que é a vacina, como, aliás, vem fazendo sistematicamente o Presidente da República, com sua política irresponsável e genocida. Que conhecimento científico têm esses senhores para desautorizarem um conhecimento tecnicamente comprovado? Suas opiniões transmitidas como se fossem oráculos causam um dano incalculável em pessoas simples de nossas comunidades que os ouvem.

O povo católico que segue estes canais não pode ser prejudicado por quem para eles representa o próprio Jesus Cristo, que não veio para enganar, “roubar, matar e destruir” (Jo 10,9), mas – segundo suas próprias palavras na sinagoga de Nazaré – veio para anunciar a Boa Notícia aos pobres, proclamar a liberdade aos prisioneiros, dar visão aos cegos, pôr em liberdade os oprimidos (cf. Lc 4, 18), para que “todos tenham vida e a tenham com abundância” (Jo 10, 10).

Precisamos dar um basta nisso, ou a Igreja Católica cairá num descrédito imenso, numa sociedade que já a escuta muito pouco. Esses canais provocam em muitos casos um desserviço à evangelização.

Padres da Caminhada e Padres Contra o Fascismo

21 de Janeiro de 2021.

33 Comments

    • DIRCE SILVA

      Parabéns pelo teor e sensatez desta carta, é inadmissível redes de comunicação católicas, se valerem de fundamentalismos e indo contra a Ciência em tempos de pandemia, colocando a vida de fieis em risco.

  • Frei Antonio Silvio da Costa Junior O.Carm.

    Apoio e saúdo a iniciativa desta carta. Em 2010 quando lecionei teologia dos ministérios, eu dizia: o ministério presbiteral, sobremaneira, deve ser marcado pela ação missionária, que reconheça os desertos da ação pastoral, os visite, conheça e ame, para que sua ação sacerdotal se identifique com o modo de agir de Jesus. E dizia, que se assim não for a pastoral de suas paróquias e comunidades seria determinada pela Canção Nova, Rede Vida e os padres midiáticos. Isto a dano da vida e pluralidade de nosso país.
    Força na caminhada.

  • Agnaldo Assis Lima

    Isso tudo é uma verdade é Tem mais, vejo líderes (bispo por ex) que não acompanha as comunidades pobres e ignora por conviniéncia política o caus. Venho relatar por ex: que antes das eleições presidenciais (em 2018 ) procurei um grande arcebispo para pedir ajuda , e teria um grande feito se ele não me iguinorase

    • Gema

      Verdade. Há muitos membros do clero que possuem uma postura que vai contra as medidas sanitárias. Isso causa confusão é muito preocupante. Concordo com a preocupação da Igreja sobre isso. A atitude do papa Francisco é um exemplo do verdadeiro argumento do Evangelho de Jesus Cristo.

  • Maria da Conceição D. Da Silva

    Vejo vários irmãos leigos se deixarem conduzir por pessoas e eventos que não estão em sintonia com a Verdade que é Cristo. É com tristeza que observo, algumas vezes mesmo tentando levar a reflexão sei que estão vendo e ouvindo se testemunham o Evangelho, a Boa Nova do Pai, que Jesus Cristo veio anunciar e testemunhar.

  • Graças a Deus! Acordaram me sentia mt triste, vendo e ouvindo este povo inculto sendo formados e catequizados, p um mundo não fraterno sem Jesus no CORAÇÃO. A opusday…tomando conta do Brasil, de Bolsonaro…se misturando se igualando aos Neopentecostais…e levando_-nos a caminho da Africa…hj destruida. Precisamos apoiar nossos bispos …e gritar contra a opressão…basta…ñ é mais tolerável aceitar esta mediocridade destas midias católicas…aceitar um governo desastrosos em todas as Áreas do governo…massacrar nosso País, com profunda destruição de nossas riquezas naturais. Avante!

  • William porto

    Sábias palavras. Hoje temos um país divido ideologicamente e religiosamente. Parte da igreja católica são fundamentalistas e não teem coerência quando apoiam um homem que defende as armas, o ódio e a tortura exatamente o que aconteceu com Cristo.

  • Gilberto Rodrigues Neves

    Como católico que sou concordo plenamente e não perco mais o meu tempo para assistir e ouvir o que essas pessoas ditas religiosas falam nesses programas de redes católicas.

  • Rita Maria Wuttke

    Muito bom o esclarecimento.O que nós leigos,engajados em pastorais, precisamos urgentemente, conhecimento mais aprofundado da doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana, porque parece que se perdeu muito daquela seriedade e/ou profundidade na observância dos princípios da Igreja de Jesus Cristo.Muito útil neste momento,seria seria um canal de comunicação permanente que nos fornecesse conhecimentos verdadeiros e onde pudéssemos aprofundar nossos conhecimentos.Só amamos o que conhecemos.

  • Diácono Mussolini

    Muito boa a colocação deste artigo, só que põe o pé no barro que vai a periferia sabe e tem o “termômetro” para avaliar a situação em que vivemos. Parabéns pelo ótimo trabalho. Deus vos abençoe grandemente e sempre!

  • João

    Eu, João, sou solidário à postura acima e, acrescento, que este tipo de pregação e evangelização de alguns padres midiáticos só estimulam os católicos a migrarem para as igrejas evangélicas.
    Digo isto, uma vez que estes são muito parecidos com alguns milagreiro e, com aqueles que não ligam fé e vida!

  • Maria Aparecida Barbosa Zani

    Concordo plenamente com o texto.
    É absurdo ouvir de um padre em seu púlpito que a única saída pra evitarmos uma catástrofe com a perda de milhões de vida- a vacina contra a Covid- não deve ser tomada sob os mais absurdos argumentos.
    A CNBB precisa tomar uma medida drástica com relação a isso.

  • Adeodata Maria Dos Anjos

    Quero parabenizar a atitude desses padres. Com o grito que sobe do chão do sangue derramado de mulheres, do genocídio aos povos originários e afrodescendentes e de povos das periferia, do descaso das políticas públicas e agora do descaso com o enfrentamento com a covid 19 está na hora de tomarmos uma atitude. A Igreja tem muito poder de transformação. Da pena ver o aproveitamento de certos grupos que se dizer igreja e católicos se aproveitando da fragilidade das cidades e de pessoas doentes para manterem as suas posições em nome de Deus. É lamentável e vergonhoso!

  • Lourival Almeida de Aguiar

    Excelente carta! Preenche uma lacuna na necessidade da Igreja de alertar seus fieis é as comunidades em geral contra a avalanche de fakenews e doutrinação manipulada pela extrema direita negacionista genocida/ecocida.

  • Lídio Ferreira

    Gostei da msg. É uma vergonha pra nossa igreja. Idiotas que tira proveito da estrutura, que não é só dele para satânicamente levar os maís frageis na fé a cometer até hidolatria.

    • Maria da Conceição Amorim

      Até que enfim, um posicionamento.
      Já passou a hora de se dar um basta a essas aberrações. Para mim alguns desses midiáticos, agridem, esculacham Jesus Cristo. Estão prestando um desserviço à Igreja, aos pobres, à sociedade.
      Se igualam ao Valdomiro, Malafaia, dentre outros caloteiros do evangelho.
      Muito pertinente e oportuna a carta. Talvez seja preciso muito mais que essa Carta para se reverter ou ao menos colocar nos trilhos esse desmbesto.

  • JOZEF GEEURICKX

    Desde San Salvador, assisti também algumas homilias transmitidas pela Canção Nova e, sinceramente, tenho dó do nosso povo simples que necessita de uma catequese séria e tem que engolir as “verdades” denunciadas na carta.
    Espero com os signatarios da carta e com Dom Guilherme que façam um sincero exame de consciência e corrijam o rumo que estão seguindo nestes úlimos anos.
    Padre Zeca, msc

  • Celia Soares de Sousa

    Meu apoio a carta dos padres da caminhada. É uma vergonha que pessoas que tiveram investimento na formação, dinheiro do povo, hoje falem tantas besteiras que vão contra a vida do próprio povo, e causem maior confusão somadas às dos inconsequentes que estão no poder.

  • Estou muito emocionada pelo teor desta carta, muito necessaria. Fica registrado em nossa história de Cristãos católicos que nossa igreja mostra uma força para tirar da perplexidade, as pessoas com nível crítico das realidades e coerente com a palavra, por perceber o Brasil mergulhado numa espécie de dominação de monstros que aceitam e seguem notícias falsas sem duvidar. ÉÉ mais um passo que mobiliza todos a se juntarem no caminho da verdade. Dou graças a Deus, pela inspiração dos autores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.