Tag: direitos

Campanha da Fraternidade 2019: Continua o Ano do Laicato? Daniel Seidel

Campanha da Fraternidade 2019: Continua o Ano do Laicato? Daniel Seidel

- SULÃO, Destaque
"No cenário brasileiro de 2019 será preciso ainda mais ser “Igreja em saída” "promover a cultura do encontro e de diálogos,  aprofundar os valores e princípios do Ensino Social da Igreja; dedicar-se mais a processos do que ocupar cargos  reconhecer a participação das mulheres na Igreja e na sociedade, superando as atitudes de violência e preconceito contra elas; construir unidade em nossa ação coletiva que supere os conflitos; considerar a realidade concreta das pessoas e comunidades acima das ideologias e agir no local dentro de uma estratégica global." A culminância do Ano Nacional do Laicato, promovido pela CNBB, ocorreu no dia 25 de novembro último, em Aparecida (SP), com a realização da Assembleia dos Organismos do Povo de Deus. Ela reforça a corresponsabilidade e a sinodalidade
Este é o sentido do Advento: pré-ocupar da esperança.Tratar de ajeitar o mundo para o novo que vem.

Este é o sentido do Advento: pré-ocupar da esperança.Tratar de ajeitar o mundo para o novo que vem.

Artigos, Destaque
Esperamos um bebê para tirar dos "tronos, os poderosos", "para despedir vazios, os ricos", "exaltar os humildes", como nossos irmãos que vivem nas ruas, ou os que trabalham duro, os iletrados, os que recebem "bolsa família", os que esperam na fila pela "minha casa, minha vida", os que não "alimentam pensamentos soberbos" Por isso uma força me leva a cantar Por isso essa força estranha (no ar) Por isso é que eu canto, não posso parar Por isso essa voz tamanha (“Força Estranha”, de Caetano Veloso) Todas as vezes em que se aproxima os finais de ano, eu fico pensando nas mulheres que estão grávidas. Se existem pessoas que podem compreender bem o sentido do Advento do Natal são as mulheres que já passaram pela experiência da gravidez e da maternidade. Cada dia é uma novidade. Alguns p
50 anos do AI-5: Negar Ditadura é Ignorância Histórica

50 anos do AI-5: Negar Ditadura é Ignorância Histórica

Artigos, Destaque
Decretado no dia 13 de dezembro de 1968, o Ato Institucional n° 5 (AI-5) ficou marcado na história como o nível mais extremo a que chegou o autoritarismo no Brasil e foi o ponto de partida para institucionalizar a repressão política durante a ditadura militar, afirma o historiador. 13 de dezembro de 1968 ficou marcado na história do Brasil, como o dia em que Costa e Silva assinou o Ato Institucional n° 5. O AI-5 que autorizava o presidente a fechar o Congresso cassar mandatos parlamentares, intervir em estados e municípios, suspender direitos políticos e a garantia de habeas corpus. Com isso, inaugurou o período mais violento do regime militar (1969-1973). Júlia Dias Carneiro da BBC Brasil no Rio de Janeiro entrevistou o historiador Carlos Fico, especialista em estudos sobre
Diversidade Cristã em Teresina -Vivendo a dignidade de filhos e filhas  de Deus

Diversidade Cristã em Teresina -Vivendo a dignidade de filhos e filhas de Deus

- NORDESTÃO, Artigos, Destaque
“A Igreja deve ser sempre a casa aberta do Pai, onde há lugar para todos os que enfrentam fadigas em suas vidas, e não uma alfândega dos sacramentos." O grupo Diversidade Cristã de Teresina é um coletivo para que os irmãos LGBT vivam sua vocação e dignidade de filhos de Deus na Igreja e na sociedade. Somos um grupo de leigas e leigos católicos que procura conciliar a fé cristã e a diversidade sexual através de reuniões mensais e/ou acompanhamento individual para oferecer acolhimento e apoio emocional. Cremos na Boa Nova de Jesus Cristo, que é a participação no Reino de Deus, e somos impelidos a partilhar a experiência do amor de Deus junto a todos os fiéis que, em virtude de sua identidade e/ou orientação sexual, frequentemente são afastados da comunidade eclesial. As ações e palavras
Enquanto alguns protestam… a caravana passa.

Enquanto alguns protestam… a caravana passa.

Artigos, Destaque
Parabéns bravas mulheres!  Vocês nos fazem lembrar as mulheres rurais de Chipko do Himalaia que não tiveram outro recurso para salvar seus bosques senão abraçar-se às árvores quando estas iam ser cortadas. Vocês nos fizeram pensar nas sufragistas que expuseram seus corpos às muitas manifestações para terem o direito ao voto. Vocês nos fizeram pensar nas mulheres sem terra e sem teto que continuam lutando nesse país de cabeça erguida. A imagem usada pelo ‘presidente’ Temer para celebrar a aprovação pelo Senado da Reforma Trabalhista ontem foi de uma fina crueldade. Qual é a caravana que passa? E passa onde? E passa sobre quem?  Passa sobre corpos estendidos, sobre corpos famintos e sofridos que reclamam por casa, terra, trabalho e pão. A caravana passa, massacra e mata porque os cavaleir