25 DE NOVEMBRO – DIA INTERNACIONAL DE COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

por Marilza J L Schuina, do coletivo de mulheres camponesas e urbanas, Cuiabá/MT.

Vivemos um tempo de pandemia contra as mulheres, Em Cuiabá, Mato Grosso organizamos um coletivo de mulheres do campo e da cidade em torno do combate à violência contra as mulheres.

“Dados da ONU confirmam que o Brasil é o 5º país mais violento do mundo e Mato Grosso figura entre os 10 estados onde mais se matam as mulheres, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Acabar com isso e alcançar a igualdade de gênero é tarefa para homens, mulheres e entidades comprometidas com a construção de uma sociedade justa, igualitária e fraterna”!

Em “25 de novembro de 1960, as irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas como “Las Mariposas”, foram brutalmente assassinadas pelo ditador Rafael Leônidas Trujillo, da República Dominicana. As três combatiam fortemente aquela ditadura e pagaram com a própria vida. Seus corpos foram encontrados no fundo de um precipício, estrangulados, com os ossos quebrados. As mortes repercutiram, causando grande comoção no país. Pouco tempo depois, o ditador foi assassinado”. (https://www.revistabula.com/5521-25-de-novembro-dia-internacional-da-nao-violencia-contra-a-mulher/)

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, em 1999, instituiu 25 de novembro como o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher, em homenagem às “Mariposas”, ou seja, um dia de combate à violência contra as mulheres em todo o mundo.

Numa sociedade patriarcal e machista, todo dia é dia de luta para quem nasceu ou decidiu-se pelo gênero feminino. Precisamos gritar sempre: basta de violência, de torturas e assassinatos contra as mulheres em casa, nas ruas, no trabalho, em todo lugar.

No Brasil, a mobilização acontece entre os dias 20 e 25 de novembro. São 21 dias de ativismo contra a violência às mulheres. “Neste período, mulheres e homens de todo o país podem se engajar na campanha nacional de Combate à Violência Contra as Mulheres, cujo lema dessa edição é Cultivar afetos e Combater a Violência.

Compartilhamos com você, leitora e leitor amigo a carta às Igrejas e/ou Instituições religiosas para que nesse período, possa ser lida nas celebrações e reuniões e os vídeos do coletivo de mulheres camponesa e da cidade.

Carta aberta às Igrejas e/ou Instituições Religiosas:
A pandemia de violência contra a mulher

One Comment

  • Валентина

    Esta data foi estabelecida no Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe realizado em Bogota, Colombia, em 1981, em homenagem as irmas Mirabal. Las Mariposas, como eram conhecidas, as irmas Mirabal – Patria, Minerva e Maria Teresa – foram brutalmente assassinadas pelo ditador Trujillo em 25 de novembro de 1960 na Republica Dominicana. Neste dia, as tres irmas regressavam de Puerto Plata, onde seus maridos se encontravam presos. Elas foram detidas na estrada e foram assassinadas por agentes do governo militar. A ditadura tiranica simulou um acidente. A CAMPANHA MUNDIAL DE COMBATE A VIOLENCIA CONTRA AS MULHERES se estende ate o dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.