40 DIAS PELO RIO: NAVEGANDO JUNTOS A BOA NOVA DE DEUS A CAMINHO DO SINODO AMAZÔNICO. DIA 18 de NAVEGAÇÃO

Um itinerário espiritual em preparação para o Sínodo

Por  Mauricio López Oropeza Secretário Executivo da REPAM

13 de Setembro

PETIÇÃO PERMANENTE PARA O SÍNODO AMAZÔNICO NO INÍCIO DE CADA DIA:

“Que o Deus da vida e da beleza, o Espírito Santo que nos impulsiona para mais fraternidade, unidade e dignidade, o
Cristo encarnado da Boa Nova, da inculturação e da interculturalidade nos proporcionem serenidade, discernimento
e coragem para encontrar novos caminhos para a Igreja e para
uma ecologia integral neste Sínodo Amazônico. Tudo isso para o bem e a vida de seus povos e comunidades, e para caminhar mais juntos pelo Reino”.
Medite por alguns momentos neste pedido inicial, busque a calma interior para entrar neste momento para navegar pelas águas da Amazônia e a vida da Igreja a serviço de seus povos e comunidades, e para ouvir o chamado de Deus através de sua palavra viva.

Leitura do dia (cada um e cada uma são convidados a aprofundar a leitura completa de acordo com suas próprias necessidades e critérios):

“Propôs-lhes também esta comparação: Pode acaso um cego guiar outro cego? Não cairão ambos na cova? O discípulo não é supe¬rior ao mestre; mas todo discípulo perfeito será como o seu mestre. Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão e não reparas na trave que está no teu olho? Ou como podes dizer a teu irmão: Deixa-me, irmão, tirar de teu olho o argueiro, quando tu não vês a trave no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho e depois enxergarás para tirar o argueiro do olho de teu irmão.” Lucas 6, 39-42

Reexão sob a perspectiva do Sínodo Amazônico:Este Sínodo nos faz pensar no momento atual deste território e de seus povos e comunidades. As situações de violência aumentam, a perseguição e a violência contra os líderes das comunidades se tornam cada vez mais dramáticas, e as leis para a proteção dessa Amazônia estão entrando em colapso ou se adaptando para atender aos interesses extrativistas de muito poucos. Isso écausado pela cumplicidade das corporações com muitos governantes em diferentes níveis, que se comportam com absoluta cegueira sobre o futuro, cegueira com a situação dos povos e comunidades que vivem neste território eonde sempre viveram. Estamos em uma situação em que os cegos lideram outros cegos sem nenhum amor genuíno pela Amazônia e seus povos e comunidades, uma vez que seusinteresses apenas lhes permitem ver este local como um espaço a explorar, e os povos e comunidades como supostos obstáculos ao desenvolvimento. Ouvimos discursos de ódio dizendo que os povos originarios também causaram alguns impactos ambientais e não sabem como tirar proveito desse território: veem a lasca no olho do outro e nãoveem o tronco no próprio olho. A Amazônia precisa de um olhar amoroso para poder continuar sendo o fator de vida e futuro para quem mora lá e para toda a humanidade. Infelizmente hoje estamos muito longe disso e caminhamos cegamente em direção a um buraco pelo egoísmo e o desejo de acumular mais e mais.

CONTEMPLAÇÃO

Contemplemos a imagem deste dia e tomemos um momento para reconhecer nossa própria vida e experiência na Igreja e ao serviço da Amazônia para pedir luz nesta palavra de Deus em preparação para o Sínodo. Escrever meus pedidos particulares e permanecer neles durante este dia. Convidamos você a manter um registro de tudo o que o Espírito nos provoca como preparação interior para o Sínodo AMAZÔNICO.

Citação para fechar a meditação: EVANGELII GAUDIUM No. 53

Assim como o mandamento «não matar» põe um limite claro para assegurar o valor da vidahumana, assim também hoje devemos dizer «não a uma economia da exclusão e da desigualdade social». Esta economia mata. (…)Hoje, tudo entra no jogo da competitividade e da lei do mais forte, onde o poderoso engole o mais fraco. (…) O ser humano é considerado, em si mesmo, como um bem de consumo que se pode usar e depois lançar fora. Assim teveinício a cultura do «descartável», que aliás chega a ser promovida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *