Diocese de Crato faz Dia de Oração pelo 14º Intereclesial

DIOCESE DE CRATO COORDENAÇÃO DIOCESANA DE CEBs

Roteiro para Celebração do dia 14 de agosto 2017

A vida nos convoca a celebrar com arte, beleza e mistério, nossas lutas comunitárias. As primeiras comunidades nos ensinaram a valorizar a memória como algo sagrado, essencial para nossa experiência de fé.

Na intenção das famílias e equipes de serviço em preparação para o  14ª INTERECLESIAL de CEBs – 2018

Materiais: tecidos coloridos, velas, bíblia, água de cheiro (água perfumada, com flores), cartaz do 14º Intereclesial, frutas, pães, bolos e bombons para serem partilhados.

Comentário Inicial

Irmãs e irmãos nos preparando para viver o 14º Intereclesial de CEBs, que em Janeiro de 2018 fará morada em Londrina/PR, celebremos juntos e juntas este momento de reacender a chama da nossa utopia, de nossa profecia, de recriar a festa da vida e do compromisso com a Causa da Libertação. Trazemos em nossa bagagem a experiência, os anseios de nossas comunidades que refletem OS DESAFIOS NO MUNDO URBANO e nos faz crer num Novo Mundo Possível.

Somos convidados a descobrir juntos/juntas os caminhos que nos apontam para o fundamental: o Reino de Deus e sua justiça, na prática das primeiras comunidades cristãs.

Uma jovem lê a música CORAÇÃO CIVIL de Milton Nascimento.

Quero a utopia, quero tudo e mais

Quero a felicidade nos olhos de um pai

Quero a alegria muita gente feliz

Quero que a justiça reine em meu país

Quero a liberdade, quero o vinho e o pão

Quero ser amizade, quero amor, prazer

Quero nossa cidade sempre ensolarada

Os meninos e o povo no poder, eu quero ver

São José da Costa Rica, coração civil

Me inspire no meu sonho de amor Brasil

Se o poeta é o que sonha o que vai ser real

Bom sonhar coisas boas que o homem faz

E esperar pelos frutos no quintal

Sem polícia, nem a milícia, nem feitiço, cadê poder?

Viva a preguiça viva a malícia que só a gente é que sabe ter

Assim dizendo a minha utopia eu vou levando a vida

Eu viver bem melhor

Doido pra ver o meu sonho teimoso, um dia se realizar.Parte superior do formulário

  Parte inferior do formulário

– Tocar a musica de Milton Nascimento, enquanto isso, a jovem passa abençoando a todos/as com água de cheiro e ramos.

Comentário: Duas coisas são necessárias para que se acenda em nós a palavra da fé: a Realidade da vida e a Palavra de Deus, uma sem a outra é incompleta.

Na realidade da vida nossa história nos reflete nossos rostos e nos aponta caminhos a serem trilhados para a superação de nossas dificuldades. E a Palavra de Deus nos ajuda a ressignificar o sabor da vida a partir de um dos maiores dons de uma comunidade: A Partilha.

Recordação da Vida

A vida nos convoca a celebrar com arte, beleza e mistério, nossas lutas comunitárias. As primeiras comunidades nos ensinaram a valorizar a memória como algo sagrado, essencial para nossa experiência de fé. Por isso, nesse momento, somos convidados a visitar nossa memória, trazendo presente os sonhos, desejos, paixões, alegrias, dores e lutas de nossa comunidade, de nossos grupos de jovens…

Comentário: Pelas belezas e lutas cotidianas, pelos caminhos percorridos e pelas vidas que se entrelaçaram comunitariamente, com muita alegria, dança e carinho, demos glórias a Deus.

Canto: Olha Glória de Deus brilhando.

Olha a glória de deus, brilhando, aleluia.

Olha a glória de deus, brilhando, aleluia (bis)

Nosso Deus é o artista do universo, é a fonte da luz, do ar da cor.

É o som, é a música, é a dança, é o mar jangadeiro e pescador.

É o seio materno sempre fértil/ é a beleza, é a pureza e é calor (bis)

Aleluia, aleluia, vamos criar que é pra glória de Deus brilhar.

Leitura Bíblica [Palavra de Deus]

Entrada da palavra (sugestão): Um casal entra com a bíblia e uma vela.

Canto: Fazei Ressoar.

Livro: Êxodo 3, 7 – 10.

Momento de reflexão e partilha da palavra da vida e da palavra de Deus. -O que o texto quer nos mostrar? Qual é o grande acontecimento nesta passagem bíblica? Em quais aspectos esse texto se relaciona com as comunidades de base?

Qual a Boa Nova de Jesus para nossas comunidades nos dias de hoje? Como nossas comunidades estão sendo proféticas e missionárias, e como estão se organizando para suprir as necessidades do povo?

  Ofertório [Mesa da Partilha]

Várias pessoas (jovens, crianças, idosos) entram dançando com peneiras de alimentos [Frutas, bolos, pães, bombons…]

Canto de Ofertório: Quem disse que não somos nada.

Quem disse que não somos nada e que não temos nada para oferecer

Repare as nossas mãos abertas trazendo as ofertas do nosso viver (bis)

A fé do homem nordestino que busca um destino e um pedaço de chão.

A luta do povo oprimido que abre caminho e transforma a nação

Ô, ô, ô, ô, recebe Senhor.

Retalhos de nossa historia bonitas vitórias que meu povo tem.

Palmares, Canudos, Cabanas são lutas de hoje e de ontem também.

Ô, ô, ô, ô, recebe Senhor.

Aqui trazemos a semente sangue desta gente que fecunda o chão.

Do gringo e tantos lavradores Santo e operários em libertação.

Ô, ô, ô, ô, recebe Senhor.

Coragem de quem dá a vida seja oferecida com este vinho e pão.

É força que destrói a morte e muda nossa sorte é ressureição.

Ô, ô, ô, ô recebe Senhor.

Pai Nosso.

[Se a comunidade preferir pode se cantar o Pai Nosso dos Mártires, em memória dos/as vários/as irmãos e irmãs que deram a vida pela causa da justiça].

Benção dos Alimentos

[todos/as de mãos erguidas em direção aos alimentos]

O/A animador/a da celebração conduz a benção, dizendo:

Bendito seja teu santo nome, por estes alimentos que foram fecundados na terra e trabalhados por nossas mãos, pelas mãos de nossos irmãos e irmãs, pelas mãos de nossos pais e mães. Que ao partilharmos estes frutos, possamos reafirmar nosso compromisso profético com a construção de uma sociedade mais justa, fraterna e solidária.  Por teu filho amado, Jesus de Nazaré, nossa Páscoa, Páscoa para o mundo. Amém!

Partilha dos Alimentos

Que a partilha dure o tempo necessário, tempo de se alimentar, conversar, se divertir, enfim celebrar a vida.

* Coleta solidária em favor da delegação da Diocese de Crato (depositar na conta apresentada no cartaz em anexo

Canto: Pão de Igualdade

Se calarem a voz dos profetas

As pedras falarão

Se fecharem uns poucos caminhos

Mil trilhas nascerão

Muito tempo não dura a verdade

Nestas margens estreitas demais

Deus criou o infinito

Pra vida ser sempre mais, sempre mais

É Jesus este pão de igualdade

Viemos pra comungar

Com a luta sofrida do povo

Que quer ter voz, ter vez, lugar

Comungar é tornar-se um perigo

Viemos pra incomodar

Com a fé e a união

Nossos passos, um dia, vão chegar.

O Espírito é vento incessante

Que nada há de prender

Ele sopra até no absurdo

Que a gente não quer ver

REFRÃO

No banquete da festa de uns poucos

Só rico se sentou

Nosso Deus fica ao lado dos pobres

Colhendo o que sobrou

REFRÃO

O poder tem raízes na areia

O tempo faz cair

União é a rocha que o povo

Usou pra construir

REFRÃO

Toda luta verá o seu dia

Nascer da escuridão

Ensaiamos a festa e a alegria

Fazendo comunhão

REFRÃO

 Benção Final

“Que a Divina Mãe Aparecida, nos abençoe e nos proteja. Encha os nossos pés de dança e os nossos braços de força. Cumule os nossos corações de ternura e nossos olhos de alegria. Povoe os nossos ouvidos de música e nosso nariz de perfume. Inunde nossa alma com justiça e nossa boca com profecia. Conceda-nos sempre os dons do deserto: Silêncio, confiança e água pura. E inunda em nós o desejo do novo, ser novo homem, nova mulher, Para darmos um rosto novo às relações. Amém!”

SAIDEIRA

Irá chegar um novo dia.
Um novo céu, uma nova terre,
Um novo mar.
E nesse dia, os oprimidos,
A uma só voz, a liberdade, irão cantar.

Na nova terra o negro não vai ter corrente,
E o nosso índio vai ser visto como gente.
Na nova terra o negro, o índio e o mulato,
O branco e todos vão comer no mesmo prato.

Na nova terra o fraco, o pobre e o injustiçado,
Serão juízes deste mundo de pecado. Na
Nova terra o forte, o grande e o prepotente
Irão chorar ate ranger os dentes.

Na nova terra a mulher terá direitos. Não
Sofrerá humilhações e preconceitos. O
Seu trabalho todos irão valorizar, das
Decisões ela irá participar.

Na nova terra os povos todos irmanados,
Com sua cultura e direitos respeitados, farão
Da vida um bonito amanhecer. Com
Igualdade no direito de viver.

 Referencias:

Subsidio em preparação ao 27º Encontro Arquidiocesano das Comunidades Eclesiais de Base (CEB) Porto Alegre/RS: CEBs e Juventudes. 2013

por Batista Silva Comunicação das CEBs Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.