Entrevista

O Sínodo é uma provocação do Papa Francisco por maior atenção à Amazônia”. Entrevista com o jesuíta Adelson Araújo dos Santos.

O Sínodo é uma provocação do Papa Francisco por maior atenção à Amazônia”. Entrevista com o jesuíta Adelson Araújo dos Santos.

- NORTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
 Um dos desafios que enfrenta a reflexão teológica é ter uma base na experiência da fé cristã do Povo de Deus, e ser enriquecida por essas vivencias, porque nelas encontra-se claramente a presença das Sementes do Verbo. O Sínodo para a Amazônia, com a colaboração da Rede Eclesial Pan Amazônica - REPAM, está tentando trazer essa reflexão para o campo acadêmico. Nos últimos meses, foram organizados diferentes eventos em universidades ao redor do mundo. Nesta quinta-feira, 16 de maio, que a reflexão vai se dar na Universidade  Gregoriana de Roma, considerado por muitos o grande centro teológico da Companhia de Jesus, que por outro lado, tem sempre dedicado grandes esforços nesta dimensão essencial vida da Igreja. Padre Adelson Araújo dos Santos é professor de Teologia Espiritual na Unive
“O Sínodo vai nos deixar uma porta aberta para a audácia, para sonhar sem medo”, entrevista com o bispo de Puerto Maldonado.

“O Sínodo vai nos deixar uma porta aberta para a audácia, para sonhar sem medo”, entrevista com o bispo de Puerto Maldonado.

- NORTÃO, Articulação Continental, Destaque, Destaque News, Entrevista
A visita do Papa Francisco em Puerto Maldonado colocou no mapa eclesial esta cidade da Amazônia peruana e deu a seu bispo, Dom David Martinez de Aguirre Guinea, "uma enorme alegria", que refletia claramente em seu rosto, no dia 19 de janeiro 2018. O Papa Francisco teve a oportunidade de descobrir os problemas da Amazônia e seus povos, uma região que "continua sendo considerada terra de ninguém, terra para conquistar e colonizar, onde qualquer um pode chegar, pegar e ninguém tem porque me proibir", diz o bispo dominicano, que é missionário no vicariato desde 2002. Entre os indígenas descobriu outra forma de compreender a vida, o que deveria ser levado em conta na sociedade ocidental, um povo que "só acumula relações humanas". Como membro do Conselho pré-sinodal do Sínodo para a Amazôn
“O Sínodo nos ajuda a voltar novamente ao essencial da missão”. Entrevista com Charly Azcona, missionário na Amazônia equatoriana

“O Sínodo nos ajuda a voltar novamente ao essencial da missão”. Entrevista com Charly Azcona, missionário na Amazônia equatoriana

- NORTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
O importante é acompanhar, se encarnar, que o próprio povo se torne protagonista. O Papa nos convidou para lutar por todas essas pessoas e lutar também pelos povos isolados, que ele diz serem os vulneráveis entre os vulneráveis. A missão muda você, ensina você a ver a vida de outra maneira, a valorizar os outros e ver que você não tem muitas verdades. Pelo menos, é isso que Capuchinho Charly Azcona sente. Ele é missionário no Equador desde 1985, onde se sente muito feliz. Nascido na Espanha, em sua terra natal viveu toda a forte religiosidade local e depois, durante sua juventude, toda a mudança política e os anos de transição. O missionário reconhece que "a questão da injustiça, corrupção e tudo relacionado aos direitos humanos sempre atraiu minha atenção", algo que marcou seu trabalh
“Um Bispo contra todas as Cercas”, entrevista com Ana Helena Tavares, primeira biógrafa brasileira de Dom Pedro Casaldáliga

“Um Bispo contra todas as Cercas”, entrevista com Ana Helena Tavares, primeira biógrafa brasileira de Dom Pedro Casaldáliga

- NORTÃO, - OESTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
“Um Bispo contra todas as Cercas. A Vida e as Causas de Pedro Casaldáliga”. “Minhas causas valem mais do que minha vida”, uma frase marcante na vida de Dom Pedro Casaldáliga, ou simplesmente Pedro, como sempre foi conhecido na beira do Rio Araguaia. Ele é alguém que encanta, que apaixona, como reconhece Ana Helena Tavares, “eu me apaixonei pela história dele”, autora da primeira biografia escrita por uma brasileira sobre o bispo do Araguaia, “Um Bispo contra todas as Cercas. A Vida e as Causas de Pedro Casaldáliga”. Tem sido um desafio que a jornalista carioca  encarou ao longo de quatro anos, em que aprofundou no conhecimento de alguém que considera a antítese do momento atual que o Brasil vive. Na entrevista, a biógrafa mostra algumas pinceladas do livro, apresentado na Catedral de S
Reunião Ampliada das CEBs Cuiabá.

Reunião Ampliada das CEBs Cuiabá.

- OESTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
“CEBs é a comunidade das comunidades, o lugar de partilha, o lugar da Re-Construção. CEBs é a Igreja em saída, o lugar onde o povo se organiza” Paz e bem povo amado de Deus e das Comunidades Eclesiais de Base. É com muita alegria que convidamos todos e todas para participar de nossa Ampliada Diocesana, que ocorrera dia 09 de março de 2019, na Comunidade Nossa Senhora do Perpetuo Socorro da Paroquia Coração Imaculado de Maria. Começamos com nosso costumeiro café da manhã partilhado as 8:00h, e em seguida nossa reunião, e por estarmos sempre animados e animadas é que queremos reafirmar que nossa Ampliada continua sendo um espaço aberto de diálogo, lugar onde construímos os trabalhos das CEBs e nos fortalecemos como lideranças comunitárias, portanto sua presença é muito importante. E se
Como a gente pode habitar consigo mesmo?  Marcelo Barros

Como a gente pode habitar consigo mesmo? Marcelo Barros

Artigos, Destaque, Destaque News, Entrevista
“Antes, tire a trave que está no seu olho para poder tirar a palha que está no olho do seu irmão”. No evangelho lido, nesse domingo, pelas comunidades, ouvimos as palavras finais de Jesus no discurso da planície (Lc 6, 39 – 45). O contexto social é uma sociedade (a de Jesus), na qual a honra e a desonra social são preocupações das quais todos dependem. Por isso, Jesus começa proclamando quem, para Deus, tem honra (é bem-aventurado) e quem Deus não considera como honrado/a (ai de vocês...). É tendo em vista a honra social que Jesus conclui seu discurso com as palavras do evangelho de hoje. Esse texto é construído sobre sentenças que Jesus teria dito aqui e acolá, em contextos diversos e que os discípulos juntaram em um discurso. Colaram uma sentença de Jesus a outra, através de “palavra
José Gregório Díaz Mirabal: “O Papa Francisco é fundamental para que outro genocídio na Amazônia não volte a acontecer”

José Gregório Díaz Mirabal: “O Papa Francisco é fundamental para que outro genocídio na Amazônia não volte a acontecer”

- NORTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
A Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica - COICA, r epresenta os mais de 400 povos da Pan Amazônia. Fundada em 1984, coordena os esforços, sonhos e ideais das nacionalidades, povos e organizações indígenas para promover, defender e exercer os direitos da vida como parte integrante da natureza e do universo. Desde junho de 2018, seu coordenador é José Gregório Díaz Mirabal, eleito no congresso de Macapá. Na semana passada, o líder indígena participou de uma reunião com o Papa Francisco, que ele considera "um reconhecimento à COICA",  embora essa atitude não seja compartilhada por todas as organizações indígenas. Ele mesmo afirma que alguns dizem que “os índios se venderam aos sacerdotes, que se ajoelharam diante do papa", recebendo muitas críticas fortes por isso. Jos
Miguel Piloto, professor indígena: “Padres têm que conhecer melhor as culturas indígenas”

Miguel Piloto, professor indígena: “Padres têm que conhecer melhor as culturas indígenas”

- NORTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
Papa Francisco, no processo do Sínodo para a Amazônia, insiste na necessidade de ouvir os povos da Amazônia, estar disposto a aprender com o povo, com aqueles que vivem no local, em harmonia com a realidade que os rodeia. Miguel Castro Piloto pertence ao povo Baniwa, que vive na região noroeste do Brasil, às margens dos rios Içana e Ayarí, município de São Gabriel da Cachoeira, na fronteira com a Colômbia. Ele é professor da comunidade de Asunção do Içana há 35 anos. Nesta entrevista, o professor fala sobre a importância da educação indígena diferenciada, as dificuldades que encontram para que os jovens possam valorizar sua própria cultura Baniwa e como deve ser a relação entre a Igreja Católica e os povos indígenas. Junto com isso, Miguel Piloto mostra suas impressões sobre o Sínodo
Zé Vicente: “a música mostra a relação com o Mistério profundo de Deus, que nos move com seu sopro cada dia”

Zé Vicente: “a música mostra a relação com o Mistério profundo de Deus, que nos move com seu sopro cada dia”

- NORDESTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
Cantar uma canção que fala de nossa esperança, da nossa ecologia, dos nossos direitos, da nossa alegria e da nossa união, dos nossos defeitos, do nosso grito, do nosso clamor, é exatamente cantar a nossa alma com o povo.  Essa é a minha concepção da minha esperança ao povo. Zé Vicente é alguém que fez da música uma maneira de expressar toda a vida que tem dentro, porque ele mesmo reconhece que sua vida está ligada à música. Sempre muito próximo do povo, da região Nordeste onde nasceu e mora, sente-se próximo ao povo nordestino, lutador e sofredor, mas que mantém a esperança. Ele canta desde uma experiência de fé, uma experiência mística, de um Deus que o inspira. Ele sabe que hoje os caminhos da música católica no Brasil são diferentes, deixando-se influenciar pela lógica do mercad
CF 2019 – A felicidade humana como horizonte das Políticas Públicas 

CF 2019 – A felicidade humana como horizonte das Políticas Públicas 

Destaque, Destaque News, Entrevista
Félix Fernando Siriani, é o entrevistado da edição da Revista Bote Fé em circulação neste último semestre de 2018, conhece as Políticas Públicas, tema da Campanha da Fraternidade 2019, não apenas teoricamente. Paulista de Americana (SP), ele é mestrando em Mudança Social e Participação Social da Universidade de São Paulo (USP) e possui graduação em Gestão de Políticas Públicas pela mesma universidade. Paralelo à academia, Siriani vem forjando sua visão a partir de experiências concretas. Integrou as comissões organizadoras da 1ª Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude de Americana (SP), da Conferência Regional de Políticas Públicas de Juventude e da etapa nacional da 1ª Conferência de Juventude, ambas realizadas em 2008. Ele também conhece, internamente, como funciona