Reflexões da Palavra | 3º Domingo do Tempo Comum – Ano B

Leituras: Jn 3,1-5.10 – Sl 24 – 1Cor 7,29-31 – Mc 1,14-20

Por Quininha Fernandes Pinto, do Regional Leste 1.

Nas leituras deste domingo encontramos uma unidade temática que nos fala sobre o tempo. Na 1a leitura “dentro de 40 dias…”; na segunda: “o tempo se faz curto…”; no evangelho “o tempo já se completou…”. Na Bíblia, a revelação do Deus transcendente, abre-se e fecha-se com observações temporais: “No princípio Deus criou…” e no livro do Apocalipse: “Sim, venho muito em breve”. Deus não é cultuado de modo atemporal ou abstrato, mas em suas intervenções no momento presente dos seres humanos que fazem da história humana do mundo, uma história divina. A vitória de Cristo sobre a morte é a superação dos limites do tempo e do espaço.

A vitória sobre a morte cria um tempo e um espaço para o ser humano de construção da sua identidade e da identidade da comunidade humana. O tempo não é só dom de Deus, é também conquista nossa. É uma arte fazer do nosso tempo algo criativo, eficaz e útil no sentido mais humano que se possa pensar. O mundo deve ficar melhor e mais bonito com a minha passagem por ele… posso e devo deixar as minhas marcas neste mundo. Posso, assim, eternizar-me. Mas os sistemas que regem este nosso mundo pensam na produção de bens materiais e de consumo, na exploração do tempo para angariar lucro, divisas, poder e perdemos o tempo tentando fazer dele dinheiro e produtos. O tempo nos devora. Há quem esteja cansado por já ter vivido demais; há quem viveu muito e não viu o tempo passar; há os que não encontram razão para viver; há os que são colocados fora do “tempo” pois são anciãos, doentes, dependentes físicos ou mentais, e a sociedade tecnológica não tem “tempo” nem espaço para eles, não são úteis ao processo de produção, nem ao consumismo.

Também Jesus nos alerta para a questão do tempo no evangelho deste domingo. Ele nos convida a crer no Evangelho, na alegre notícia que ele comunica, no cumprimento do tempo em que se instaura na terra o Reino de Deus. “O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo”. A irrupção do Reino de Deus acontece quando a justiça prevalece sobre os interesses do capital, quando a vida está acima dos interesses políticos, quando o “Bem Viver” se sobrepõe ao viver bem que beneficia uns poucos às custas dos “muitos” – dos pobres, dos trabalhadores, dos povos indígenas, dos negros e das mulheres pobres… O projeto do Reino de Deus instaurado por Jesus começa no “Tempo” e o tempo urge!!!!! O tempo é breve. O tempo nos devora. Brincamos com o tempo.

Neste domingo somos solicitados pelas leituras a pensar sobre o que temos feito com o nosso tempo. Como temos contribuído para que os sinais do Reino sejam visíveis no nosso meio? Que tempo temos dispensado para que as pessoas vejam em nós o Reino se aproximando? Qual a qualidade do tempo que vivemos? Que tempo ofereço àqueles que dele precisam, aos meus amigos, aos meus filhos? Muitas perguntas e diferentes respostas…

Pensemos nisso, pensemos que a vida é um sopro e pode ser que estejamos desperdiçando a oportunidade única que Deus nos deu de contribuir para que o Reino de Deus – o tempo que não tem fim – aconteça já e agora. Coragem!

Que seja assim. Beijos no coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.