E toda a nudez será castigada! Mas qual nudez?… Cesar Kuzma

Às vezes se quer esconder o nu para não mostrar a hipocrisia que vivemos e que vestimos.

Cesar Kuzma

Incrível! Esta insistência em falar de ideologia de gênero em tudo coloca o discurso eclesiástico/religioso e o discurso político/social longe de urgências que nos reclamam ações e reflexões concretas e favorecem, com isso, grupos extremistas e movimentos/grupos pseudo-políticos e religiosos, dentre outros. Ideologias [se é que elas existem da forma como eles falam???] não anulam questões [e estas são bem evidentes!!!], e estas são e se fazem urgentes.

Mais: geralmente, os mesmos que gritam em ordem da moral e dos costumes, pela causa da família, não movem um dedo em defesa das crianças em vulnerabilidade de nossas favelas e comunidades, vítimas do crime, do tráfico e da pobreza, expostas à violência todos os dias e longe de qualquer perspectiva de mudança e de dias melhores; o mesmo com relação a violência doméstica contra a mulher e a violência contra homossexuais e transexuais, onde a nossa (in)tolerância é questionada e nos envergonha profundamente.

Perguntamos: o que implica então a questão de gênero? Onde está a ideologia? E o que isso tem a ver com a nudez?… Não seria a acusação de ideologia um medo de tratar seriamente e com competência certos assuntos? Não seria esta atitude uma imposição para não ver o que nos interpela e reclama a nossa atitude e posição, criando aí sim uma ideologia? Não seria o medo de um desconhecido-conhecido que se quer evitar, jogando a culpabilidade no outro(a) e nos outros(as), fugindo de realidades próprias, mantendo certo padrão e postura.

Ainda: honestamente, de qual nudez estamos falando e qual nudez realmente nos preocupa?… Por certo não é a nudez da arte, nem mesmo a da nossa sexualidade, já que sempre estiveram expostas e visíveis e ninguém antes as questionou, pelo menos não desta forma. Talvez, e esta é apenas uma hipótese, pode ser que tudo seja um pretexto social, político e por que não também religioso (e ideológico), e acabamos não vendo o que deveríamos ver, isto é: a indiferença da nossa sociedade e o desequilíbrio social, as manobras de Temer e seus comparsas, a corrupção latente, os retrocessos na nossa política/democracia/judiciário, a perda de direitos, o abuso dos indefesos e vulneráveis na fragilidade de nossas cidades, que inibem o ir e vir, o ser e o fazer, numa descrença social e humana, na coisificação de estruturas e pessoas e no empobrecimento de nossas visões e perspectivas. Estas são as ideologias que destroem esperanças, arrasam famílias e fazem de nossas crianças vítimas inocentes de um presente e futuro perdido/incerto.

É, toda a nudez será castigada (palavras de Nelson Rodrigues), mas é bom olharmos bem de qual nudez estamos falando e qual delas nos envergonha mais. Às vezes se quer esconder o nu para não mostrar a hipocrisia que vivemos e que vestimos.

Cesar Kuzma
Rio de Janeiro, 27/10/2017

Cesar Augusto Kuzma é Teólogo leigo, casado, dois filhos, doutor em Teologia e Professor de Teologia do Departamento de Teologia da PUC-Rio.

Assessor da Comissão do Laicato da CNBB, Assessor do CELAM (Departamento de Vocações e Ministérios)

Professor na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

 Fonte arquivo web

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.