Para coordenador, encontro revigora mística das CEBs

14° Intereclesial das CEBs
Tema: CEBs e os Desafios do Mundo Urbano
Lema: “Eu vi…, eu ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-los”. (Ex 3,7)
23 a 27 de janeiro de 2018, Londrina-PR

 

A realização do 14º Intereclesial das CEBS é uma forma de enfrentar problemas presentes no espaço cotidiano das cidades e revigorar a mística e espiritualidade das Comunidades Eclesiais de Base. É o que pensa o coordenador dos grupos de trabalho do encontro, padre Dirceu Luiz Fumagalli, de 57 anos.

Durante reunião da equipe ampliada nacional das CEBs, que começou neste domingo (21) e se estende até amanhã, o religioso fez um panorama do percurso de preparação do Intereclesial e comentou sobre a importância do evento para a igreja e a sociedade.

Fumagalli ressaltou a diversidade de representações entre os que vão participar das atividades. São cerca de três mil delegados, assessores, bispos, observadores e missionários de todo o país, além de outros países, como Argentina, Paraguai, Itália, Alemanha e França.

“É momento de nos encontrar, nos reestruturar e dar organicidade às CEBs”, avaliou o padre. Esforço possível, em grande parte, pelo trabalho de anos que envolveu, em média, mil pessoas, no transporte, alimentação, acolhimento, secretariado, comunicação, entre outras funções, além de aproximadamente 1,8 mil famílias hospedeiras.

Todo esse pessoal passou por cursos de formação e reuniões acerca do significado, história e espiritualidade das CEBs, além de aspectos práticos da logística do evento.

Parcerias com o poder público garantiram a viabilização de parte dos espaços físicos e de transporte coletivo aos participantes. Articulações com cooperativas, assentamentos e acampamentos de pequenos produtores asseguraram os alimentos para as refeições do Intereclesial. Também houve alguns serviços contratados, como segurança e saúde, devido à dimensão do evento.

“Questões que pegam”

“Também é momento de discutirmos nossas cidades, vendo situações que dizem respeito aos municípios em específico e o país como um todo”, pontuou Fumagalli.

Entre as questões a serem debatidas no Intereclesial, educação, saúde e ecologia têm um destaque positivo em Londrina, disse o padre. Quanto aos maiores problemas, atenção ao déficit de moradia, que chega a cerca de 70 mil famílias, dos cerca de 650 mil habitantes da cidade paranaense.

Por Gibran Luis Lachowski

Fotos: Ana Paula Carnahiba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.