Rondonópolis/MT: Romaria Franciscana faz defesa do Cerrado

Texto e fotos: Pedro Aguiar e Osmar Nascimento (CEBs/Rondonópolis)

Aconteceu em Rondonópolis, Mato Grosso, a Romaria Franciscana em Defesa do Cerrado. A atividade foi um belo sinal de atuação da igreja em parceria com movimentos sociais. Integrantes das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da diocese de Rondonópolis-Guiratinga participaram da organização e realização da romaria, que ocorreu no domingo, dia 29. Confira galeria de fotos ao final da matéria.   

 

Inspiração e pé no chão

Com orações e falas esclarecedoras sobre a importância do bioma Cerrado, a Romaria Franciscana teve início na Comunidade Nossa Senhora das Graças, no bairro Vila Roseli, paróquia Sagrado Coração de Jesus.

A concentração foi marcada por um café partilhado e uma linda celebração conduzida pelo Frei Wagner. Depois as romeiras e os romeiros seguiram por alguns bairros de Rondonópolis, pela Rodovia do Peixe e foram até as margens do Rio Vermelho com o córrego Escondidinho, num acampamento do Movimento 13 de Outubro, completando mais de 3 km.

Lá ocorreu plantação de mudas de árvores nativas, abraço simbólico ao rio Vermelho, reflexão a respeito do impacto dos agrotóxicos à saúde humana e palavras de incentivo à agricultura familiar.

O encerramento contou com um delicioso almoço servido às pessoas presentes, acompanhado de apresentações culturais e artísticas.

 

Objetivos

Um dos objetivos da atividade foi promover uma conscientização de maneira orante e celebrativa, no contexto ecológico do Sínodo da Pan-Amazônia. Isso significa assumir uma atitude corresponsável pela preservação dos três biomas de Mato Grosso, que são o Cerrado, o Pantanal e a Floresta Amazônica.

Também foi uma forma de alertar a população sobre problemas, como: desmatamento, uso de venenos, queimadas, apropriação dos bens naturais e de terras públicas e falta de reciclagem. Além de abandono de lixo em lugares impróprios, derrubada da mata ciliar, desperdício de água, assoreamento dos rios e nascentes.

 

Realização e apoio

A romaria foi organizada por:

– Comissão Pastoral da Terra (CPT);

– Campanha da Fraternidade 2019;

– Irmãs Catequistas Franciscanas;

– Freis Franciscanos;

– Paróquia Sagrado Coração de Jesus;

– Grupo Arareau;

– Movimento 13 de Outubro;

– Grupo Mova-se;

– Fórum de Luta Contra os Agrotóxicos;

– Articulação Nacional de Agroecologia;

– Diocese de Rondonópolis-Guiratinga.

Também houve apoio do Café Quitada e da Secretaria Municipal de Trânsito de Rondonópolis.

[FAG id=19492]

One Comment

  • Luzimar Chaves

    Parabéns as organizações que promoveram essa manifestação. Precisamos cada vez mais nos unirmos em torno dessas questões em defesa do meio ambiente e da vida, juntamente com toda Igreja. Vida em primeiro lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.