Shadow

Tag: CEBs

Reflexão da Palavra|  Domingo de Ramos – Paixão do Senhor

Reflexão da Palavra| Domingo de Ramos – Paixão do Senhor

Destaque
Por: Quininha Fernandes Leituras: Lc 19,28-40 - Is 50,4-7 - Sl 21 - Fl 2,6-11 - Lc 22,14-23,56 As comunidades cristãs católicas celebram hoje, e sempre com muito entusiasmo, a entrada de Jesus em Jerusalém. Organizam-se procissões, às vezes, encenações e, ao final, levam alguns ramos bentos para casa. Importa resgatar o verdadeiro sentido desta entrada para que possamos celebrar a festa com mais profundidade. O primeiro relato de Lucas prepara a citação do profeta Zacarias, quando Jesus pede para irem ao povoado buscar emprestado um jumento: "Dizei à filha de Sião: Eis que o teu rei vem a ti, manso e montado num jumento, num jumentinho, num potro de uma jumenta"; e Jesus foi para Jerusalém. Zacarias já havia profetizado: "Dance de alegria, cidade de Sião; grite de alegria, cida...
Reflexão | 8o Domingo do Tempo Comum – Ano C

Reflexão | 8o Domingo do Tempo Comum – Ano C

Destaque
Leituras: Eclo 27,5-8 - Sl 91 - 1Cor 15,54-58 - Lc 6,39-45. Por: Quininha Fernandes Pinto Deus se revelou através de suas obras e de suas palavras. Também nós manifestamos o que somos pelo nosso agir e pelo que falamos. A primeira leitura do livro do Eclesiástico ensina como conhecer as pessoas pela sua fala e o Evangelho oferece um convite implícito ao ser humano para conhecer-se a si mesmo. As palavras de Jesus, aos seus discípulos, parecem bastante óbvias: pode um cego guiar outro cego? Um discípulo não é maior que o seu mestre; como podemos querer tirar um cisco do olho do irmão se temos uma trave que nos impede de enxergar? Não existe árvore boa que dê frutos ruins... são ensinamentos fáceis de serem compreendidos e que já foram absorvidos pelos ditos populares da nossa gen...
Reflexão da Palavra | 6º Domingo do Tempo Comum – Ano C

Reflexão da Palavra | 6º Domingo do Tempo Comum – Ano C

Destaque
Leituras: Jr 17,5-8 - Sl 1 - 1Cor 15,12.16-20 - Lc 6,17.20-26 Por Quininha Fernandes Pinto Neste domingo se inicia o conhecido "discurso de planície", em que Lucas apresenta a nova lei, a vida moral dos cristãos. A clássica fórmula da lei moral do Antigo Testamento começa assim: "Eu sou o Senhor, teu Deus, que te fiz sair do Egito, da condição de escravo. Não terás outros deuses diante de mim" - Ex 20,2-3. Em seguida, determina preceitos morais: não matar, não roubar, não cometer adultério. São fatos históricos lidos/vistos à luz da fé. Os mandamentos são a consequência dos acontecimentos e se referem à libertação do povo da escravidão, até a sua constituição em nação livre. No Novo Testamento o ensinamento moral está ligado ao anúncio do Evangelho. Mas aqui há um fato novo, um acon...
2º Domingo do Tempo Comum – Ano C

2º Domingo do Tempo Comum – Ano C

Notícias
Por: Quininha FernandesLeituras: Is 6,1-5 - Sl 95 - 1Cor 12,4-11 - Jo 2,1-11 É muito bom perceber que Jesus tinha amigos e participava de eventos cotidianos como uma festa de casamento, pois isto o torna ainda mais acessível a nós. Mas Ele é também uma mistério cuja acessibilidade se percebe na mensagem das narrativas evangélicas. Neste domingo, as leituras nos remetem à mensagem da conhecida festa das Bodas de Caná, em que Jesus realiza o seu primeiro sinal. Maria, que o acompanhava juntamente com os discípulos, percebeu que o vinho tinha acabado e, como mulher sensível e prática, já providenciou uma solução, pois sabia da força que exalava da pessoa do Filho. E todo o resto nós conhecemos: ela disse a Jesus o que estava ocorrendo; Jesus responde com uma certa rispidez à sua mãe, ...
Festa da Epifania do Senhor

Festa da Epifania do Senhor

Destaque
Leituras: Is 60,1-6 - Sl 71 - Ef 3,2-3a.5-6 - Mt 2,1-12Celebramos neste primeiro domingo do ano a festa da Epifania do Senhor. Apenas Mateus e Lucas nos oferecem as narrativas da infância de Jesus que, mesmo não possuindo teor histórico, são carregadas de mensagens teológicas profundas.A humanidade tende a um universalismo até agora nunca atingido e que produzirá um novo tipo de seres humanos, cuja cultura não será mais limitada à da sua civilização e cujos meios técnicos serão patrimônio de todos. Chamamos isso também de globalização, com algumas ressalvas… Mas como podemos atingir esse sonho? Que meios a humanidade dispõe para atingi-lo? Experimentam-se muitos métodos que têm alguma parte de verdade e eficácia, mas que acarretam muitos problemas. Convém confiar na consciência univer...
2º Domingo do Advento – Ano C

2º Domingo do Advento – Ano C

Destaque
Leituras: Br 5,1-9 - Sl 125 - Fl 1,4-6.8-11 - Lc 3,1-6Se no domingo passado a liturgia nos convidava à vigilância, hoje o apelo é à conversão. O Advento é tempo de conversão, tempo para preparar os caminhos do Senhor, para endireitar as veredas, a fim de que chegue o Reino de Deus. Os seres humanos da modernidade não são muito atentos a estes temas, acham-no piegas ou coisas de fanáticos religiosos. Mas diante dos muitos temas que nos são impostos pela realidade como a fome, o desemprego, a pandemia, a intolerância e a discriminação que mobilizam as nossas forças, vencemos nosso comodismo e somos obrigados a uma conversão diária: a conversão a mim mesma, àquilo que há de mais nobre no meu coração, à minha essência humana. Muitos de nós vivemos isto nesta pandemia… muitos se perguntaram pe...
Reacender Aparecida para responder aos clamores da América Latina e do Caribe

Reacender Aparecida para responder aos clamores da América Latina e do Caribe

Destaque
A Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe está tomando forma, ganhando profundidade, focalizando seu olhar nos desafios para a Igreja na América Latina e no Caribe à luz do discernimento comunitário, tema que tem animado as reflexões desta terça-feira 23 de novembro, iluminadas pela citação bíblica que nos diz que "O tempo está cumprido e o Reino de Deus está próximo: convertei-vos e crede na Boa Nova".Não podemos esquecer que esta Assembleia, desde sua convocação, ancorou suas raízes em Aparecida, a última Assembleia Geral do Episcopado Latino-americano realizada em 2007. O Cardeal Odilo Scherer refletiu sobre isso após a oração de abertura. O primeiro vice-presidente do Celam lembrou o convite do Papa Francisco para retomar o Documento de Aparecida, "porque ele contém uma ...
Festa de Todos os Santos –

Festa de Todos os Santos –

Destaque
Leituras: Ap 7,2-4.9-14 - Sl 23 - 1Jo 3,1-3 - Mt 5,1-12a Por:Quininha Fernandes Pinto Comemorada no dia 1o de novembro, celebramos liturgicamente neste domingo, a Festa de Todos os Santos. No princípio, a Bíblia reservou a Javé o título de "Santo", palavra que tinha então o significado muito próximo ao de "sagrado" e Deus é o "Outro" tão transcendente e tão longíquo que o ser humano não pode pensar em participar da sua vida. Este Deus chamava o povo à santidade, e, por meios legais e práticas de purificação exterior, ele a tentava alcançar. Mas logo começaram a tomar consciência da insuficiência de tais procedimentos. Jesus - o Senhor - irradia para nós, a santidade de Deus, seu Pai e nos transmite essa santidade pela sua vida, ações e pelo seu evangelho. Vemos pelos Seus ensina...
31º Domingo do Tempo Comum – Ano B

31º Domingo do Tempo Comum – Ano B

Destaque
Leituras: Dt 6,2-6 - Sl 17 - Hb 7,23-28 - Mc 12,28b-34 Por: Quininha Fernandes Pinto A primeira leitura deste domingo é o início da oração hebraica do “Shemá Israel” = Escuta Israel, que os fiéis recitavam três vezes ao dia. Esta oração conserva as características essenciais da fé dos judeus: a fé num Deus único, a síntese de toda a lei do mandamento do amor. No Antigo Testamento, este mandamento do amor de Deus já é completado pelo segundo: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. O amor ao próximo aparece inseparável ao amor de Deus. Os dois mandamentos são, na verdade, um só, o ápice de toda a lei. A caridade fraterna, apresentada por Jesus em tantos outros textos do Novo Testamento, não poderia ser mais incisiva e clara de que, substancialmente, há um único amor!Mas o am...
29º Domingo do Tempo Comum – Ano B

29º Domingo do Tempo Comum – Ano B

Destaque
Por: Quininha Fernandes Pinto Leituras: Is 53,10-11 - Sl 32 - Hb 4,14-16 - Mc 10,35-45 Vimos no domingo passado que renunciar às riquezas significa ter disponibilidade para seguir Jesus e, consequentemente, abraçar a cruz, se necessário for. Sob este enfoque, o Evangelho de hoje nos fala do pedido de Tiago e João - filhos de Zebedeu - para que o Mestre os deixasse sentar, um à sua direita e outro à sua esquerda, quando partisse para a sua glória. Isto, claro, causou indignação e incompreensão entre os outros discípulos. Sentar-se lado a lado com o "chefe" dá status e visibilidade de poder e prestígio, que é exatamente o que queriam… Este pedido põe às claras que eles não haviam entendido nada da proposta de Jesus, nem o sentido da sua missão. Jesus aproveita para ensiná-los ...