Articulação Continental x Encontro Continental das CEBs

As Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da América Latina tem sido desde seu nascimento na segunda metade do século XX, uma forma de fazer realidade a Igreja em saída e estar  presente nas periferias como  tanto insiste   o Papa Francisco.  Uma forma de ser Igreja que, como observou recentemente o Cardeal Marc Oullet, “é um sem número de estrelas brilhantes na noite da indiferença religiosa, cuja presença capilar reforça a sacramentalidade da Igreja na América.”     Uma amostra da vida das CEBs é o X ENCONTRO CONTINENTAL DAS CEBS que acontece do dia 13 ao dia 17 de setembro na Arquidiocese de Assunção, cidade de Luque, Paraguai. O Tema do encontro é “CEBs no seguimento de Jesus de Nazaré, fazemos memória dos 50 anos de caminho e abrimos com esperança novos horizontes”. O Lema “ As CEBs caminhando e o Reino proclamando.” Participam do Encontro mais de 200 delegados de 16 países latinoamericanos, e Bispos da Bolivia, Brasil e Paraguai, que foram recebidos sob o grito “TEMOS BISPOS NO  MEIO  DOS POBRES!!!”  Também se fez presente o Monsenhor Sergio Alfredo Gualberti Calandrina, Arcebispo de Santa Cruz de  La Sierra e Assessor do Departamento CEyD na área das CEBs  do CELAM (Conferencia Episcopal Latino Americana). As Comunidades Eclesiais de Base pretentem:   celebrar a memória dos 50 anos de  seguimento à  Jesus  de Nazaré nas comunidades para continuar com esperança o caminhar;  ressignificar ou refundar as CEBs para dinamizar seu caminho, de acordo com os sinais dos tempos, sendo capaz de impulsionar novos horizontes Trocar e enriquecer as experiências de bem viver presentes nas CEBs para inovar ministérios e serviços Ao longo desses dias, começando pela partilha da vivencia dos diferentes países latinoamericanos e das comunidades eclesiais de base nos últimos 50 anos,  constata-se uma história de resistência  onde muitos homens e mulheres tem dado sua vida para fazer realidade um mundo melhor para todos. As comunidades presentes afirmam que a memória é um instrumento para construir o futuro, e que as diferentes experiências práticas que as CEBs vivenciam em todos os cantos do continente podem ser mais conhecidas e assim ajudar a construir uma sociedade alternativa. As CEBs, como toda a Igreja e a sociedade em geral, vivem um tempo em que é necessário encontrar novos horizontes que sejam instrumentos de ressignificação.  Não podemos esquecer as tendências que se vislumbram no horizonte, apontadas pelo Jesuíta hondurenho Ismael Moreno, mais conhecido como Padre Melo, e que podem conduzir  o continente latino americano a entrar numa dinâmica em que o poder do capital, consolidado no extrativismo, no agronegócio, nas grandes hidroelétricas,  da visão de Estado como negócio, com a consequente privatização dos bens públicos, a militarização e uma maior presença estadunidense, podem levar a America Latina a entrar num beco sem saída. Para combater essa perversa dinâmica, é que entram em jogo as CEBs, cobrando mais protagonismo dos movimentos sociais, promovendo a crescente consciência ecológica e as redes midiáticas alternativas.  Tudo isso em um momento de semeadura, de articulação, que ajude a encontrar o caminho para a transformação. Os presentes neste X Encontro Continental das CEBs não se esquecem de mostrar a alegria de poder encontrar-se novamente em um lugar  em que são  acolhidos de coração, pois, como observava Monsenhor Edmundo Valenzuela Mellid, Arcebispo de Assunção, durante a celebração Eucarística do primeiro dia: “ Paraguai, Assunção, a Arquidiocese é a casa de todos  vocês”, reconhecendo as CEBs “como lugar de comunhão, de solidariedade, que testemunham a misericórdia de Deus para com os pobres”. (Luis Miguel Modino  ).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.