CARTA DO 23º. GRITO DOS EXCLUIDOS ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA

Arquidiocese de Fortaleza reúne 12.000 pessoas no 23° Grito dos excluíd@s, de todos os canto viemos, da Praia, da Serra e do Sertão todas e todos embalados com o tema Vida em primeiro lugar
“Por direitos e democracia a luta é todo dia”, caminhamos da Eacola Estadual São José dos Arpuadores rumo ao Marco zero na Barra do Ceará e encerramos com uma linda ciranda na qual envolvemos todas e todos após a leitura da carta final.

                      CARTA  DO 23º. GRITO DOS EXCLUIDOS

A liberdade não é conquistada uma vez por todas, mas cada dia é necessário defendê-la e conquistá-la.

Queridas irmãs e queridos irmãos, companheiros/as de caminhada e de luta, resistindo sempre às manhas do dragão do Capitalismo, que quer conquistar e devorar a VIDA da humanidade toda, crescendo sempre mais, até estourar e encher de sangue a face da terra:
Estamos terminando a caminhada deste 23º. Grito dos Excluídos e Excluídas e queremos gritar para os quatro cantos do mundo que a nossa luta não terá sossego enquanto não podermos vislumbrar o nascer de um novo dia. Por direitos e democracia, a luta é todo dia!

A liberdade não é conquistada uma vez por todas, mas cada dia é necessário defendê-la e conquistá-la. O dragão do capitalismo está cada vez mais mostrando as suas garras: decisões internacionais que destroem a dignidade e a liberdade de povos inteiros, construção de muros para excluir os mais pobres e as vítimas das presas dilacerantes das guerras e explorações que os grandes capitalistas praticam pelo controle do petróleo e da água, dos minérios e das fontes de energia. É a eterna luta entre as forças do Bem e as do mal. No Brasil, o governo em suas várias instâncias com seus bajuladores, abrem portas e janelas para vender a preço de nada o povo brasileiro e as riquezas que possuímos.

Estamos nos tornando novamente uma colônia! O Povo de Deus que nos escreve, através do livro do Apocalipse, nos ensina a manter viva a ESPERANÇA nesta luta e a confiar naquele que “derruba os poderosos dos seus tronos e despede os ricos de mãos vazias” (Lc 1,52) É Ele que tem o poder de interpretar e conduzir a História para a Salvação da Humanidade. Com o Grito de hoje, queremos dizer que estamos dispostos a retomar o “primeiro amor” (Ap 2,4) e a oferecer a nossa vida numa fidelidade que dura até a morte.

O Espírito do Senhor, que nos convoca através das igrejas, das pessoas de boa vontade, das diversas crenças e instituições, está convidando toda a humanidade, para que não deixe que a nossa fé e o nosso agir se tornem “mornos”, porque pessoas sem paixão pela vida, sem iniciativa e participação em prol da dignidade da pessoa humana serão “vomitadas pela boca de Deus” (Ap 3,16).

Comprometemo-nos a retomar e fortalecer os GRUPOS DE REFLEXÃO, DE ESTUDO, grupos pequenos que, nas bases da nossa sociedade possam fazer crescer uma consciência humana e crítica, à luz da fé;

 Comprometemo-nos a retomar a luta pelas reformas: agrária, urbana e política que realmente contemplem os direitos do nosso povo;

 Comprometemo-nos com a defesa dos biomas, especialmente com a Amazônia, vida ameaçada, berço das águas e das florestas;

Comprometemo-nos em instigar a democratização de todos os saberes tecnológicos que possam influenciar na vida plena para nosso povo;

Que este grito ecoe pelas praças e vielas, pelas ruas e favelas para que possamos reconstruir a democracia neste país, “para que todos e todas tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10).

Fortaleza, 07 de setembro de 2017.

por Aurelio  Araujo CEBs Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.