XX ROMARIA DA PASTORAL AFRO BRASILEIRA SANTUÁRIO DE APARECIDA

XX ROMARIA DA PASTORAL AFRO BRASILEIRA AO SANTUÁRIO DE APARECIDA

“POVO DE DEUS, COM O OLHAR DA MÃE NEGRA DA MISERICORDIOSA”

No último sábado, 05 de novembro de 2016, as comunidades negras de todo o Brasil participaram da XX Romaria ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida  que neste ano teve como tema: “O povo de Deus, com o olhar da Mãe Negra da Misericordiosa”, e o lema “Com a Mãe Aparecida, amor e fé, rumo aos 300 anos”, vivenciando o tricentenário do encontro da imagem da padroeira do Brasil. Encontro esse entre a Mãe de misericórdia e os pescadores, pobres, trabalhadores e explorados, fazendo ecoar o Magnificat pelo vale do Paraíba.

De Londrina partiram em romaria aproximadamente 90 homens e mulheres que no dia a dia enfrentam toda sorte de desafios nas periferias de nossa cidade.   Pe Altair e Pe Luciano, também se fizeram romeiros e juntamente com comunidades negras de todo o Brasil, louvaram e agradeceram pelas conquistas e resistência, pela memória, ancestralidade e alegria e contribuição do povo negro para a Igreja do Brasil e do Mundo.

O assessor da Pastoral Afro Brasileira da Arquidiocese de Londrina, Pe. Luciano Paixão afirmou a importância da Romaria: “somos e fomos inseridos ainda mais na realidade gritante e desumanizadora de tantos irmãos, vítimas do racismo, do preconceito e da intolerância em todos os âmbitos. Como Igreja em saída missionaria, o nosso desafio é avançar para águas mais profundas, adentrar a realidade, as periferias humanas, e mais ainda olhar com olhos de misericordiosos a caminhada pastoral e como Igreja em saída. Para a Pastoral Afro Brasileira de Londrina, os desafios se acentuam cada vez mais, com a chegada de tantos irmãos migrantes, que aqui chegam esperançosos de um recomeço digno.”

A Pastoral Afro Brasileira  consagrou à Mãe Aparecida a atual situação política do Brasil, pedindo que Ela interceda, sendo Advogada dos pobres e oprimidos frente a essa onda conservadora, de conteúdo racista e classista que ameaça direitos constitucionalmente garantidos, que favorece a violência, o desemprego e a precarização do ser humano e rogaram pela vida das mulheres negras, denunciaram o genocídio da juventude, a violência institucional e a falta de políticas públicas para a promoção da igualdade racial.

Renovados pela força do olhar Misericordioso da Mãe Negra, carinhosamente chamada Mariama, a Pastoral Afro Brasileira da Arquidiocese de Londrina,  coordenada por  Valdiza e Adão Gomes,  compreende que      muito se tem a fazer mas, a força da resistência, da alegria e da união torna a luta possível: “ É  tempo de renovar as forças, a fé e a coragem para juntos como Igreja discípula e missionaria, adentrarmos a realidade em que vivemos, e como nos anima o tema do 14º Intereclesial das CEBs, superarmos os desafios do mundo urbano, também no que diz respeito ao modo de vivenciar a fé, a cultura, raça, cor ou qualquer diferença.” (Pe. Luciano)

Durante todo o mês de novembro a Pastoral Afro Brasileira promoverá reflexões, celebrações ecumênicas e Missas Afro, lembrando o Mês da Consciência Negra e Zumbi dos Palmares, símbolo da luta contra a escravidão.

Por Leoni Alves Garcia – Pascom/Comunicação do 14º Intereclesial

Todos os direitos reservados a Ampliada das Comunidades Eclesiais de Base.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.