Artigos

COMUNIDADE: ESPAÇO PRIVILEGIADO PARA VIVER O DIÁLOGO E A PRÁTICA DA CARIDADE – CFE/2021.

COMUNIDADE: ESPAÇO PRIVILEGIADO PARA VIVER O DIÁLOGO E A PRÁTICA DA CARIDADE – CFE/2021.

Artigos, Notícias
Estamos na Quaresma, momento propicio para vivermos de forma mais acentuada o processo de conversão; tempo de voltar-se o coração ao Deus da vida (YAHWEH), como diz do Profeta Joel (Jl 2, 12-18); tempo de buscar a misericórdia do Pai (Sl 50/51) e reconciliarmos com Deus (2Cor 5,20-6,2) em Jesus Cristo com a alegria do jejum, o silêncio (introspecção) da oração e prática a sincera da caridade, conforme ouvimos na Liturgia da Quarta-feira de Cinzas. O Jejum, a oração e a caridade são os três elementos do processo de conversão postos como desafios paro todos nós nesse tempo quaresmal. Não vamos aqui teologizar sobre todos esses elementos, mas discorrer de maneira singela sobre a caridade. Porém, penso que não há caridade sem a renúncia de algo em nossas vidas (jejum é renúncia) e tamb
Comunidade: Fraternidade e Diálogo em tempos de Quaresma, um jeito concreto de viver a caridade.

Comunidade: Fraternidade e Diálogo em tempos de Quaresma, um jeito concreto de viver a caridade.

Artigos, Notícias
Mesmo com tantos ataques nas redes sociais por grupos de extrema direita autodenominados católicos, foram realizadas por todos os cantos do Brasil as Celebrações de Abertura da Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano como forma de encorajar pessoas cristãs e de boa vontade a reconhecerem no diálogo um dos caminhos para a superação da cultura do ódio. A CEB’s assume o Ecumenismo não como uma estratégia, mas como uma forma de espiritualidade. Por isso, oferecemos esta importante reflexão elaborada pela nossa querida companheira Lucimar Moreira Bueno, conhecida por todos como Lúcia, assessora da CEBs na Arquidiocese de Maringá, Regional Sul 2: As comunidades são chamadas, inspiradas em Cristo, a ser espaço de diálogo e do testemunho da unidade na diversidade, expressão da novidade t
A Luiz Alberto Gomes

A Luiz Alberto Gomes

Artigos, Destaque, Igreja no Brasil
Amigos queridos, Hoje, na aurora de um novo dia, perdemos um grande amigo, alguém que para mim era muito especial, a quem eu costumava chamar de "irmão maior". Luiz Alberto Gómez de Souza, um dos maiores sociólogos que o Brasil já teve. Uma pessoa brilhante. Uma pessoa que teve uma história e muitos dos frutos que colhemos hoje, na questão da justiça, da democracia, vieram por suas lutas. Alguém muito ligado às igrejas de base, por sua vivência na JUC e por sua militância ativa e libertadora. Eu tive a graça de conhecer o Luiz Alberto há alguns anos atrás, quando ainda estava começando e eu era estudante na universidade. Gostávamos de ler os seus textos e o chamávamos para participar de nossos eventos. A primeira vez foi em um simpósio na PUCPR, em Curitiba. Depois, fomos nos aproximan
As pestes, as maldições e os castigos estão aí: falta alguém que escute a voz de Deus e faça a sua vontade

As pestes, as maldições e os castigos estão aí: falta alguém que escute a voz de Deus e faça a sua vontade

- SULÃO, Artigos, Notícias
Por João Ferreira Santiago* Está decretado e promulgado pelo inconsciente coletivo de nossa aldeia o princípio ético das milícias: primeiro que existem algumas pessoas que devem morrer. Pessoas idosas, hipertensas, diabéticas, pessoas com AIDS e com câncer; segundo que existem certas pessoas que merecem morrer. Pessoas negras, feministas, homoafetivas, “inválidas” por alguma mutilação no trabalho; terceiro que existem pessoas que precisam morrer. Militantes de esquerda, ativistas ambientais, militantes que defendem educação pública e de qualidade, principalmente na universidade. Por fim, existe um tipo de pessoas que é preciso dá um fim, e esse tipo é especialmente perigoso, tão perigoso que se divide em dois grupos, embora estejam em apenas um: um é formado por pessoas que pensam, o o
AS MINAS QUE SÃO COVAS DE MORTE

AS MINAS QUE SÃO COVAS DE MORTE

- NORDESTÃO, Artigos, Destaque
por Dom Beto Breis, Bispo de Juazeiro (BA) “Naquele dia, nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor; sobre ele repousará o Espírito do Senhor: trará justiça para os humildes e uma ordem justa para os homens pacíficos… Não haverá danos nem mortes por todo o meu santo monte” (Isaías 11,1.4.9) Movido pela Esperança celebrada e reavivada pela Liturgia nestes dias de Advento e comovido pela dor de tantos irmãos atingidos e ameaçados por empresas ligadas à mineração nestas terras da Bahia escrevo estas palavras, pra que ao grito das vítimas de Mariana e Brumadinho ressoe também o clamor de tantas pessoas e comunidades atingidas e ameaçadas por tais empreendimentos e suas ilusórias  promessas de progresso. Nem sempre a morte semeada e culti
Peixes de Piracema – Aos que estão desanimados

Peixes de Piracema – Aos que estão desanimados

Artigos, Destaque
Por Roberto Malvezzi (Gogó) Quando chegam as águas novas, carregadas de calor e nutrientes, dispara o ciclo reprodutivo dos peixes de piracema. Então, em cardumes, eles arrancam rio acima na busca desesperada pela reprodução da espécie. Um peixe como o dourado tem que nadar pelo menos quinhentos quilômetros contra a corrente, até à exaustão. Quando encontram um obstáculo em seu percurso, lutam para vencê-lo. Quando é impossível vencê-lo, a exemplo de uma barragem no leito de um rio, se lançam contra a parede até desfalecer, ou até morrer. Muitos preferem morrer que renderem-se ao obstáculo, porque o instinto da vida os leva a lutar até morrer. Os que se acomodam não se reproduzem, vivem seu tempo como indivíduos, até sua extinção e a extinção total da espécie. Porém, quando é possív
O Novíssimo Testamento e a construção de uma nova normalidade

O Novíssimo Testamento e a construção de uma nova normalidade

Artigos, Destaque
A imagem que fazemos de Jesus é reflexo das prioridades que regem nossas vidas. A condição social em que nos encontramos numa sociedade estruturalmente desigual (a que classe pertencemos, nossas características raciais, o sexo, a orientação sexual etc) e as experiências pelas quais passamos cotidianamente condicionam nosso posicionamento diante dos problemas do mundo e, por consequência, direcionam os anseios de nossa fé. Do consolo semanal que um grande empresário se vale para continuar explorando trabalhadores, ao agradecimento devoto pelo privilégio supostamente concedido por não ser minha a família, e sim a dos outros, vítimas de uma triste desgraça, Cristo é colocado como pedra de sustentação. A pergunta que fica é: é possível falar em seguimento a Jesus, quando o que se segue
Finados – Reflexões sobre a morte e o morrer!

Finados – Reflexões sobre a morte e o morrer!

- LESTÃO, Artigos, Destaque
Por Quininha Fernandes Pinto - Teóloga, assessora das CEBs do Regional Leste 1. Há pessoas que não gostam de falar sobre a morte. Há pessoas que nem pronunciam esta palavra. Há pessoas que temem morrer! É o medo do desconhecido, que para muitos a morte representa. Para alguns o medo maior é o da decomposição, medo físico, visceral; para outras, o medo de ser enterrada viva; para muitos existe um medo intelectual que é o medo de perder a razão, o medo do desconhecido... existe também o medo da separação, o separar-se dos seres que mais amam, o medo de deixá-los sozinhos. Este é o medo afetivo. Talvez seja importante nos perguntarmos sobre alguns pontos de vista que este assunto suscita. Qual a nossa relação com a dor, com o sofrimento, com a doença, com a morte dos outros e a nos
“Abre a tua mão para teu irmão” (Dt 15, 11), abre os teus olhos para reconhecer Jesus (Lc 24 31)

“Abre a tua mão para teu irmão” (Dt 15, 11), abre os teus olhos para reconhecer Jesus (Lc 24 31)

Artigos, Destaque, Igreja no Brasil
Por João Ferreira Santiago, da Arquidiocese de Curitiba/PR. Caríssimas e caríssimos irmãs e irmãos, o ano de 2019, será lembrado por muitos anos, pelas lições e aprendizados, e pelas perdas ocorridas em milhões de famílias enlutadas no mundo todo. Uma praga em forma de vírus deixou a modernidade e a ciência mudas; a tecnologia e as religiões nuas; e os nossos governantes com as mãos manchadas com sangue de inocentes. Grande parte das mais cem mil mortes em nosso país, são o resultado da ausência ou da insuficiência das Políticas Públicas, como diz a CNBB em seus Documentos. Vemos a Sabedoria do tempo testemunhando um provérbio bíblico que diz, “Com os justos no poder, alegra-se o povo; mas quando governa o malvado, o povo geme” (Pr 29, 2). Um provérbio de nosso tempo, no entanto, nos d
Escolhe, pois, a vida!

Escolhe, pois, a vida!

- LESTÃO, Artigos, Destaque
Por Leu Cruz*, da Comunidade Batismo do Senhor, Diocese de Duque de Caxias/RJ.   O nosso olhar se dirige a Jesus. O nosso olhar se mantém no Senhor Quando vi tantas cartas e outros escritos sobre o acontecimento da Menina e cada texto tentando ser o que melhor olhava para a situação em questão, ou das situações que vieram após algumas atitudes ou pronunciamentos, fiquei pensando na Menina e também nas nossas comunidades: pessoas simples, crentes no Senhor, desejosas em ver tudo pela fé.  Pensei muito nelas... nossas comunidades...  Essas pessoas simples estão muitas vezes à mercê dos lobos ferozes, como esteve a Menina por quatro longos anos. Elas ouvem os familiares, os vizinhos, a televisão, as redes digitais e as Igrejas. Mas, nesse tempo de pandemia, se reduzem ao